Pginas:
1
2
 15 de Dezembro de 2008

Primeiro Lugar Geral da UPE do Motivo.

Camilla Maria de Alencar Saraiva.


 
 15 de Dezembro de 2008

Listo da UPE 2009

Confira o listo.

Clique aqui e baixe o listo da UPE 2009.


 
 12 de Dezembro de 2008

Listo dos remanejveis UPE 2009

Saiu o listo dos remanejveis UPE

Clique aqui e baixe o listo dos remanejves da UPE 2009.


 
 12 de Dezembro de 2008

Primeiro Lugar Geral da UPE 2009

Camilla Maria de Alencar Saraiva.

Parabns Camilla Maria de Alencar Saraiva, primeiro lugar da UPE 2009.


 
 5 de Dezembro de 2008

Alteraes de Gabarito

Confira as alteraes do gabarito da UPE 2009

Clique aqui e baixe o gabarito do 1 dia do vestibular da UPE 2009.

Clique aqui e baixe o gabarito do 2 dia do vestibular da UPE 2009.

Clique aqui e baixe o gabarito do 3 dia do vestibular da UPE 2009.


 
 2 de Dezembro de 2008

COMENTRIO UPE 3 DIA

HISTRIA

Professores: Axel Alves, Hugo Brito, Joo Carlos, Lcia Monteiro, Luzinete Kurtinaitis, Penha Passos e Rodrigo Pessoa.

A prova da UPE atendeu ao contedo proposto no programa e fez uma boa distribuio dos assuntos.
A prova de Histria Geral foi assim dividida:

2 questes de Antiguidade Clssica, com enfoque cultura humanista grega e uma sobre as origens do mundo romano.
2 questes de a Idade Mdia, sendo uma sobre a cultura bizantina, com destaque para a grandiosidade da sua arquitetura; e uma sobre a Baixa Idade Mdia, tratando sobre as transformaes da Europa a partir do sculo XII, momento de efervescncia cultural e filosfica, com nfase no pensamento escolstico.
1 questo sobre a Idade Moderna, abordando a Reforma Protestante, um dos itens mais importantes do perodo moderno, uma vez que reflete as mudanas vivenciadas pela Europa entre os sculos XIV- XV e XVI.
4 questes sobre o perodo contemporneo, abrangendo vrios itens entre os sculos XIX e XX.

Em Histria do Brasil, a prova tambm foi bem distribuda, compreendendo os seguintes perodos:

03 questes sobre a Colnia, que contemplavam a Economia Aucareira, a Guerra dos Mascates e a Conspirao dos Suassunas. Percebe-se claramente a valorizao da Histria Pernambucana.
01 questo abordando o Imprio, sobre o fim do I Reinado.
03 questes sobre a Repblica, mencionando a Era Vargas e a Ditadura Militar.

Confira a questo 07, que contempla a Histria Pernambucana:

07. Olinda e Recife viveram momentos histricos diferentes desde os tempos da colonizao portuguesa. Chegaram, inclusive, a ter conflitos que assinalavam divergncias de interesse. Um deles, a Guerra dos Mascates, que

a)mostrou a decadncia econmica de Olinda que sofria com suas dvidas financeiras em crescimento.
b)afirmou a importncia poltica do Recife, com seu rico porto, independente at das ordens vindas de Portugal.
c)consagrou o poderio da aristocracia olindense, com amplo domnio da produo do acar na colnia.
d)consolidou o governo de Castro e Caldas, aliado dos recifenses e lder poltico no conflito.
e)criou condies para recuperao de Olinda, dificultando as atividades comerciais do Recife.


Resoluo:

Em 1710 Recife foi elevada a categoria de vila, chegando ao nvel de Olinda. Nesse perodo, vila do Recife era povoada por muitos comerciantes portugueses. O comrcio tornou-se forte devido ao porto, que era a porta de entrada dos produtos europeus em Pernambuco.
A crise da economia do acar provocou a decadncia dos senhores de engenho e, conseqentemente, da vila de Olinda (residncia da aristocracia pernambucana). No contexto do final do sculo XVII e incio do sculo XVIII, os senhores de engenho dvidas cada vez maiores junto aos comerciantes portugueses do Recife. Com isso, a Guerra dos Mascates foi muito mais um conflito entre credores (comerciantes do recifenses) e devedores (senhores de engenho olindenses).

Gabarito: letra A


 
 2 de Dezembro de 2008

COMENTRIO UPE 3 DIA

FSICA I

Como se verifica historicamente, a prova de Fsica I aborda todo o programa proposto no manual. As questes foram de soluo direta, apresentando enunciados e figuras claras. A questo 13, no item (0 0), foge a esse contexto, pois se refere ao resistor equivalente entre os terminais da bateria, quando deveria especificar que solicitava a resistncia equivalente do circuito externo.
Tivemos a predominncia de mecnica (8 questes); tambm foram contempladas as seguintes reas: eletricidade e magnetismo (3 questes), fsica moderna (1 questo), calor (2 questes), ondas e harmnico (1 questo), ptica geomtrica (1 questo).
No contexto a que se prope, foi uma prova simples, valorizando o aluno que se preocupou com todo o programa ao longo do ano.
A questo 12 tem, no item (4 4), um problema de gabarito, pois solicitava a distncia efetivamente percorrida, que, como sabemos, a soma dos mdulos dos deslocamentos. Sendo assim, o gabarito deve ser alterado para verdadeiro.

12. A figura a seguir representa a variao da velocidade de uma partcula com o tempo que descreve uma trajetria retilnea.



Pode-se afirmar que

I II

0 0 a partcula nos primeiros dois segundos possui uma acelerao igual a 2m/s2.
1 1 no intervalo de 2s a 3s, a partcula est em repouso.
2 2 no intervalo de 3s a 4s, a partcula executa um movimento progressivo e acelerado.
3 3 nos intervalos de 0s a 1s e de 3s a 4s, a acelerao da partcula tem o mesmo valor.
4 4 a distncia percorrida pela partcula, no intervalo de 0s a 3s, vale 4m.

Gabarito oficial: VFVVF



 
 2 de Dezembro de 2008

CONTESTAO DA QUESTO 15 (FSICA 2)

Questo 15 item 4 - 4 FSICA 2

Entendemos como terminais do gerador os pontos de menor e maior potenciais e, entre eles, a resistncia interna do equipamento, que, por questes puramente didticas, desenhada ao lado do gerador. O item (4 4) da questo 15 deveria especificar que a resistncia equivalente solicitada era a do circuito externo, como fica claramente exposto na lei de ohm-pouillet.

E = (Re + r)i

No qual Re = Resistncia equivalente do circuito
Com isso, temos:
Resistncia do circuito interno (resistncia interna r) entre os terminais do gerador.
Resposta: r = i Ω

Resistncia equivalente do circuito externo tambm entre os terminais do gerador (percorrendo o circuito externo) e, finalmente, a resistncia total do circuito (interna + externa).
ReT = (Re + r).

A banca atribui, para o item (4 4), o gabarito verdadeiro, como se a referncia fosse ao circuito externo, quando na verdade a afirmativa A resistncia equivalente ligada aos terminais do gerador vale 4 Ω. Lembramos o fato de que a resistncia interna est compreendida entre os terminais do gerador, da a necessidade de ser especificado o circuito externo.


 
 2 de Dezembro de 2008

CONTESTAO DA QUESTO 12 (FSICA 1)

Questo 12 item 4 - 4 FSICA 1

A questo 12 tem, no item (4 4), um problema de gabarito, pois solicitava a distncia efetivamente percorrida, que, como sabemos, a soma dos mdulos dos deslocamentos. Sendo assim, o gabarito deve ser alterado para verdadeiro.


 
 2 de Dezembro de 2008

Prova de Fsica 1 - UPE 2009

Resoluo da prova de Fsica 1

Questo 01
Em uma revendedora de peas de automveis, um vendedor lana uma pequena caixa sobre o balco para ser
recolhida por seu ajudante. Este, distrado, no v o pacote que escorrega para fora do balco e atinge o cho a 1,5m
da base do balco.



Se a altura do balco de 1,25 m, a velocidade com que o pacote deixou o balco vale em m/s

A) 2
B) 1
C) 3
D) 4
E) 6

Gabarito C

Comentrio


Questo 02
Um esquiador de massa 60 kg desloca-se na neve. O coeficiente de atrito entre os esquis e a neve de 0,2, e o calor
latente de fuso do gelo de 3.10 5 J/kg. Considere que toda a neve embaixo de seus esquis esteja a 0 oC e toda energia
interna gerada pelo atrito seja adicionada neve que adere aos esquis at derreter. A distncia, em quilmetros, que
ele deve percorrer para derreter 1 kg de neve vale



A) 3,0
B) 1,2
C) 1,5
D) 2,0
E) 2,5

Gabarito E

Comentrio


Questo 03
Um problema para a vida humana em uma estao no espao exterior o peso aparente igual a zero. Com a inteno de contornar este problema, faz-se a estao girar em torno do seu centro com uma taxa constante para criar uma
gravidade artificial na sua borda externa. Considerando o dimetro da estao igual a 125 m e = 3, o nmero de revolues por minuto necessrias a fim de que a gravidade artificial seja igual a 10 m/s2 vale

A) 4
B) 2
C) 6
D) 8
E) 10

Gabarito A

Comentrio


Questo 04
A expresso popular a ponta do iceberg usada para se referir a algo que se supe estar a maior parte oculta, o que
significa que a maior parte do seu volume est imerso.



Considerando os valores aproximados das densidades do gelo e da gua do mar como sendo 0,9 g/cm3 e 1,0 g/cm3, respectivamente, o percentual do volume total de um iceberg que est acima do nvel do mar vale

A) 70 %
B) 15 %
C) 5 %
D) 10 %
E) 60%


Gabarito D

Comentrio


Questo 05
Suponha que 1,00 g de gua evapore isobaricamente presso atmosfrica (1,0 . 10 5 Pa). Seu volume no estado lquido
VL = 1,00 cm3 e no estado de vapor Vv = 1671 cm3. Considerando o calor latente de vaporizao da gua, para essa
presso, como sendo Lv = 2,26 . 10 6 J/kg. , quando a gua se transforma em vapor, a variao de energia interna, em
joules, vale

A) 2500
B) 1320
C) 3200
D) 2093
E) 2403

Gabarito D

Comentrio


Questo 06
Um corpo de massa m est preso extremidade de uma mola de constante elstica K = 32 N/m e oscila de acordo com a
equao a seguir, onde todas as variveis esto com unidades no SI.



Pode-se concluir que a energia mecnica do corpo

A) nula nas extremidades e mxima na posio de equilbrio.
B) de 32 J nas extremidades e nula na posio de equilbrio.
C) constante e igual a 64 J.
D) de 32 J nas extremidades e 64 J na posio de equilbrio.
E) nula nas extremidades e na posio de equilbrio.

Gabarito C

Comentrio


Questo 07
Um trem de comprimento igual a 100 m viaja a uma velocidade de 0,8 c, onde c a velocidade da luz, quando atravessa
um tnel de comprimento igual a 70 m.



Quando visto por um observador parado ao lado dos trilhos, CORRETO afirmar que o trem

A) no chega a ficar totalmente dentro do tnel, restando um espao de 12 m fora do tnel.
B) fica totalmente dentro do tnel e sobra um espao de 10 m.
C) fica totalmente dentro do tnel e sobra um espao de 15 m.
D) no chega a ficar totalmente dentro do tnel, restando um espao de 5 m fora do tnel.
E) fica totalmente dentro do tnel e no resta nenhum espao.

Gabarito B

Comentrio


Questo 08
Um carro de massa 800 kg encontra-se parado num sinal. Outro carro de massa 1200 kg que se desloca com uma
velocidade de 20 m/s choca-se na traseira do primeiro carro. Imediatamente aps o choque, os dois carros deslocam-se
juntos. CORRETO afirmar que

A) a velocidade dos carros de 12 m/s, e o coeficiente de restituio igual a 1.
B) a velocidade dos carros de 12 m/s, e o coeficiente de restituio igual a 0,5
C) o choque perfeitamente elstico, e a velocidade dos carros de 10 m/s.
D) a energia cintica e a quantidade de movimento so conservadas.
E) o coeficiente de restituio nulo, e a velocidade dos carros de 12 m/s.

Gabarito E

Comentrio



Questo 09
Um raio de luz monocromtica propaga-se num vidro de ndice de refrao igual a e incide num dioptro plano
vidro-ar, sob ngulo de incidncia igual a 60o. Considerando o ndice de refrao do ar igual a 1, a respeito desse
fenmeno, pode-se concluir que ocorrer



A) reflexo total.
B) apenas reflexo.
C) reflexo e refrao.
D) apenas refrao.
E) refrao e reflexo total.

Gabarito A

Comentrio


Questo 10


Gabarito D

Comentrio


Questo 11
A figura a seguir representa uma regio em que coexistem um campo magntico e um campo eltrico, ambos uniformes
e perpendiculares entre si, representados pelos vetores B e E. Uma partcula de massa m e carga q positiva lanada
numa direo horizontal perpendicular a esses campos, com velocidade v. Despreze a ao do campo gravitacional da
Terra.



Gabarito B

Comentrio


Questo 12
A figura a seguir representa a variao da velocidade de uma partcula com o tempo que descreve uma trajetria
retilnea.



Gabarito VFVVF

Comentrio


Questo 13
Na figura a seguir, considere o circuito em que a bateria possui uma resistncia interna de 1 e fem de 20V. Todos os
resistores tm a unidade em ohm.





Gabarito VVFVF

Comentrio


Questo 14
Uma bola lanada para cima, atingindo uma altura h. Desprezando-se a resistncia do ar, pode-se afirmar que



Gabarito VVFFV

Comentrio


Questo 15
Na figura a seguir, um bloco de massa M = 200 g solto, em repouso, no ponto A e descreve um arco de circunferncia
de raio R = 30 cm em uma superfcie perfeitamente lisa, at atingir o ponto C. Considere que o tamanho do bloco
desprezvel em comparao com R.




Gabarito VFVFF

Comentrio


Questo 16
Analisando-se as proposies a seguir relacionadas eletrosttica, pode-se afirmar que



Gabarito FVFVV

Comentrio


 
 2 de Dezembro de 2008

Questes de 08 a 16 de Fsica 2 - UPE 2009

Resoluo das questes de 08 a 16 de Fsica 2

Questo 08


Gabarito A

Comentrio


Questo 09
Um cabo de telefone tem 4,00 m de comprimento e massa 0,20 kg. Um pulso ondulatrio transversal produzido,
dando-se um arranco em uma extremidade do cabo. O pulso realiza quatro deslocamentos de ida e volta ao longo do
cabo em 0,80s. A tenso no cabo vale em newtons

A) 60
B) 80
C) 40
D) 20
E) 100

Gabarito B

Comentrio


Questo 10


Gabarito E

Comentrio


Questo 11


Gabarito A

Comentrio


Questo 12
A mecnica clssica, tambm conhecida como mecnica newtoniana, fundamenta-se em princpios que podem ser
sintetizados em um conjunto de trs afirmaes conhecidas como as leis de Newton do movimento.

Pode-se afirmar que

I II
0 0 se o motor de uma espaonave que se move no espao sideral suficientemente afastada de qualquer
influncia gravitacional deixar de funcionar, a espaonave diminui sua velocidade e fica em
repouso.
1 1 as foras de ao e reao agem em corpos diferentes.
2 2 massa a propriedade de um corpo que determina a sua resistncia a uma mudana de movimento.
3 3 se um corpo est se dirigindo para o norte, podemos concluir que podem existir vrias foras
sobre o objeto, mas a maior deve estar direcionada para o norte.
4 4 se a resultante das foras que atuam sobre um corpo nula, pode-se concluir que este se encontra
em repouso ou em movimento retilneo uniforme.

Gabarito FVVFV

Comentrio


Questo 13
Um bloco de gelo de massa m = 8kg desliza sobre uma rampa de madeira, conforme a figura a seguir, partindo do
repouso, de uma altura h = 1,8 m.



Pode-se afirmar que

I II
0 0 se o atrito entre o bloco de gelo e a madeira for desprezvel, a velocidade do bloco, ao atingir o solo
no ponto A, de 6 m/s.
1 1 considerando que o atrito entre o bloco de gelo e a madeira no seja desprezvel, de modo que o
bloco de gelo chega ao ponto A com velocidade de 4 m/s, a energia dissipada pelo atrito de 80 J.
2 2 considerando que o calor latente de fuso do gelo de 3,2 . 105 J/kg, a massa de gelo a 0 oC que
seria fundida pela energia dissipada pelo atrito vale 0,25 gramas.
3 3 o trabalho realizado pela fora peso, enquanto o bloco de gelo se desloca at o ponto A, de 44 J.
4 4 considerando o atrito desprezvel, a energia cintica do bloco, quando este se encontra a uma altura
de 1 m, em relao ao ponto A, vale 46 J.

Gabarito VVVFF

Comentrio


Questo 14


Gabarito FFVFV

Comentrio


Questo 15


Gabarito VFFVV

Comentrio


Questo 16
Em relao s afirmaes abaixo, analise e conclua.

I II
0 0 Ondas luminosas e ondas sonoras se deslocam no vcuo com a mesma velocidade.
1 1 O ngulo de refrao da luz sempre menor que o ngulo de incidncia.
2 2 Difrao o fenmeno de uma onda contornar um obstculo.
3 3 Apenas as ondas longitudinais podem ser polarizadas.
4 4 Quando uma onda luminosa passa de um meio para outro, mantm seu comprimento de onda e
muda sua freqncia.

Gabarito FFVFF

Comentrio


 
 2 de Dezembro de 2008

Questes 02, 10 e 11 de Histria - UPE 2009

Resoluo das questes 02, 10 e 11 de Histria

Questo 02
H muitas especulaes histricas sobre as origens de Roma e sua construo como cidade centro de um grande imprio. Sobre o incio da histria de Roma, CORRETO afirmar que

A) se fundou como obra de gregos fugidos de Atenas e de Esparta, todos relacionados aos ideais de nobreza.
B) no tinha, no seu litoral, condies para construir bons portos, o que dificultou a sua organizao comercial.
C) foi freqentada pelos povos gauleses, os grandes organizadores da sua vida social e republicana.
D) tinha territrios favorveis defesa natural contra os inimigos polticos, da o fortalecimento de suas tropas militares.
E) possua lendas que explicavam seu surgimento na Pennsula Itlica, embora elas no tivessem aceitao popular.

Gabarito B (Segundo a UPE)

Comentrio
Descobertas arqueolgicas indicam que a rea de Roma j era habitada em 1400 a.C.. Os antigos povos que habitavam a regio do Lcio, nas proximidades de Roma, desenvolveram uma economia baseada na agricultura e nas atividades pastoris. A sociedade, nessa poca, era formada por patrcios (nobres proprietrios de terras) e plebeus (comerciantes, artesos e pequenos proprietrios). O sistema poltico era a monarquia: a cidade era governada por um rei, originalmente de origem latina, porm os ltimos reis do perodo monrquico foram de origem etrusca. Os romanos desse perodo eram politestas, veneravam deuses semelhantes aos dos gregos (embora com nomes diferentes). Os gregos tambm influenciaram, juntamente com os etruscos, as primeiras formas de arte realizadas pelos romanos.
Conforme a verso lendria da fundao de Roma, relatada em diversas obras literrias romanas tais como: a Histria de Roma, de Tito Lvio, e a Eneida, do poeta Virglio , Enias, prncipe troiano filho de Vnus, fugindo de sua cidade, destruda pelos gregos, chegou ao Lcio e se casou com uma filha de um rei latino. Seus descendentes, Rmulo e Remo, filhos de Ria Slvia, rainha da cidade de Alba Longa com o deus Marte, foram jogados por Amlio, rei da cidade, no rio Tibre. Mas os irmos foram salvos por uma loba que os amamentou, sendo, em seguida, encontrados por camponeses. Conta a lenda que, quando adultos, os dois irmos voltaram a Alba Longa, depuseram Amlio e em seguida fundaram Roma, em 753 a.C.. A data tradicional da fundao (21 de abril de 753 a.C.) foi convencionada bem mais tarde por Pblio Terncio Varro, atribuindo uma durao de 35 anos a cada uma das sete geraes correspondentes aos sete mitolgicos reis. Segundo a lenda, Rmulo matou o irmo e se transformou no primeiro rei romano.
Roma, em suas origens, era uma cidade-estado sem sada para o mar. As poucas atividades comerciais estavam nas mos dos plebeus, pois o comrcio era tido como atividade desprezvel pela elite patrcia. O comrcio tornou-se mais importante em Roma depois do domnio dos etruscos, que introduziram o alfabeto e dotaram a cidade de uma estrutura urbana.

Questo 10
Em 1916, em plena Guerra, Marcel Duchamp lanou a obra Roda de bicicleta. Nem a roda servia para andar nem o banco servia para sentar. O que a obra de Duchamp anunciava?

A) Fascnio pela tecnologia, que conduziria o homem ao progresso.
B) Apego pela cincia que produziria homens cada vez mais sbios.
C) Incentivo para se produzirem, cada vez mais, armas.
D) Olhar mais questionador no mundo das artes.
E) Busca pela preservao dos princpios iluministas.

Gabarito D

Comentrio
Marcel Duchamp um dos precursores da arte conceitual e introduziu a idia de "ready made" como objeto de arte. Comeou sua carreira como artista criando pinturas de inspirao impressionista, expressionista e cubista. Dessa fase, destaca-se o quadro "Nu descendo a escada", que apresenta uma sobreposio de figuras de aspecto vagamente humano numa linha descendente, da esquerda para a direita, sugerindo a idia de um movimento contnuo. Esse quadro, na poca de sua gnese, foi mal recebido pelos partidrios do Cubismo, que o julgaram profundamente irnico com a proposta artstica por eles pretendida.
Duchamp deixou um legado importante para as experimentaes artsticas subseqentes, tais como: o Dadasmo, o Surrealismo, o Expressionismo Abstrato, a Arte Conceitual, entre outros. Muitos dos artistas identificados com essas tendncias prestaram tributo a Duchamp. John Cage, por exemplo, trocou idias com Duchamp, e Andr Breton, pai do Surrealismo, por vrias vezes tentou atrair Duchamp para a causa do movimento surrealista; Tristan Tzara, um dos responsveis pelo Dadasmo, tambm reconheceu na obra de Duchamp, apesar do pouco contato da arte norte-americana com a arte europia, uma espcie de precursora.

Na alternativa "A" temos uma aluso ao Futurismo. Entendemos que houve um engano na hora de digitar o gabarito, pois Duchamp se identifica com o que mencionado na alternativa "D". Pedimos Banca da UPE que reconsidere o gabarito desta questo.

Questo 11


O caos e a violncia no Zimbbue podem ser examinados como uma metfora dos flagelos que fazem da frica o continente com a maior concentrao de pases miserveis. (Revista Veja, 2 de julho, 2008, p. 97)

Podemos considerar que o neocolonialismo do sculo XIX sujeitou os pases da frica a essa misria, justificado no princpio do(da)

A) Darwinismo social, que foi utilizado para fortalecer as idias do imperialismo, do racismo, do nacionalismo e do militarismo.
B) Conferncia Internacional de Berlim que mantinha a escravido e o comrcio de escravo na frica.
C) Marxismo que determinava os arranjos sociais e polticos da sociedade em geral e as perspectivas intelectuais.
D) Internacionalismo que defendia o rompimento de todas as fronteiras nacionais.
E) Anarquismo que defendia a liberdade nas relaes humanas.

Gabarito D

Comentrio
No final do sculo XIX e comeo do sculo XX, a economia mundial viveu grandes mudanas. A tecnologia da Revoluo Industrial aumentou ainda mais a produo, o que gerou uma grande necessidade de mercado consumidor para esses produtos e uma nova corrida por matrias-primas.
A concepo de imperialismo foi perpetrada por economistas alemes e ingleses no incio do sculo XX. Esse conceito constituiu-se em duas caractersticas fundamentais: o investimento de capital externo e a propriedade econmica monopolista. Um pas imperialista era um pas que dominava economicamente o outro, e, desse modo, a capitalizao das naes imperialistas, gradativamente, se ampliava, assim como a absoro dos pases dominados, pois monoplios, mo-de-obra barata e abundante e mercados consumidores levavam ao ciclo do novo colonialismo, que o produto da expanso constante do imperialismo.
Os pases imperialistas dominaram muitos povos de vrias partes do planeta, em especial dos continentes africano e asitico. Porm, a maior parte dos capitalistas e da populao desses pases se sobrepunham, tendo como afirmativa que suas aes eram justas e at
benficas humanidade, em nome da ideologia do progresso. Dessa forma, tinham 3 vises explicativas: o etnocentrismo, baseado na idia de que existiam povos superiores a outros (europeus superiores a asiticos, indgenas e africanos, exemplos clssicos), da mesma forma o racismo e o darwinismo social, que interpretava a teoria da evoluo de sua maneira errnea, afirmando a hegemonia de alguns sobre outros pela seleo natural.
Assim, no final do sculo XIX e comeo do XX, os pases imperialistas se lanaram numa corrida pela conquista global, o que desencadeou rivalidade entre os mesmos e concretizou o principal motivo da Primeira Guerra Mundial.
O gabarito aponta a letra "D" como resposta correta, no entanto, essa alternativa faz aluso ao Internacionalismo, uma doutrina que prega o desenvolvimento compartilhado entre todos os pases sem acepo. O Internacionalismo um movimento poltico que advoga uma maior cooperao econmica e/ou poltica entre naes, em prol do benefcio mtuo. Partidrios do movimento argumentam que as naes poderiam tirar vantagens recprocas ao focarem polticas de longo prazo que envolvam todo o globo, em vez de polticas individualistas restritas ao cenrio nacional. Portanto, entendemos que houve um engano na hora de digitar o gabarito oficial. Pedimos Banca da UPE que reconsidere o gabarito desta questo.


 
 2 de Dezembro de 2008

Questes 03, 13 e 12 de Histria - UPE 2009

Resoluo das questes 03, 13 e 12 de Histria

Questo 03
Na Idade Mdia, Bizncio era um importante centro comercial e poltico. Merecem destaques seus feitos culturais, mostrando senso esttico apurado e uso das riquezas existentes no Imprio. Na sua arquitetura, a igreja de Santa Sofia destacou-se pela

A) sua afinao com o estilo gtico, com explorao dos vitrais e o uso de metais na construo dos altares.
B) simplicidade das suas linhas geomtricas, negando a grandiosidade como nas outras obras existentes em Bizncio.
C) grande riqueza da sua construo, com uso de mosaicos coloridos e colunas de mrmores suntuosas.
D) imitao que fazia dos templos gregos, com altares dedicados aos mitos mais conhecidos, revelando paganismo.
E) consagrao dos valores catlicos medievais, em que a riqueza interior era importante em toda cultura existente.

Gabarito C

Comentrio
Nas obras arquitetnicas bizantinas, como templos, mosteiros e palcios, possvel identificar elementos romanos, persas e gregos. Tais construes, marcadas pela grandiosidade, pela riqueza de detalhes e, muitas vezes, pelo luxo interior, tm na Igreja de Santa Sofia seu melhor exemplo. Erguida na poca de Justiniano, essa construo tinha paredes externas feitas de tijolos e argamassa, ao passo que seu interior apresentava grande riqueza, constituda por colunas de mrmore, folhas de ouro e mosaicos coloridos. Essa estrutura refletia uma concepo religiosa que via no templo uma alegoria do ser humano, cuja beleza interior, e no a aparncia externa, era um ideal a ser alcanado. A cpula da Igreja, com 32 metros de dimetro, elevada a uma altura superior a 50 metros, a contar do piso, utilizou tecnologias arquitetnicas avanadas para a poca.

Questo 13
Com a Abdicao de D. Pedro I, romperam-se os elos entre Brasil e Portugal. Consolidou-se, assim, o poder dos latifundirios, os quais conseguiram moldar uma monarquia liberal-escravista de acordo com seus interesses e expectativas. Nessa perspectiva, CORRETO afirmar.

I II
0 0 A Abdicao foi resultado de um conflito que vinha de antes da Independncia, o conflito entre lusitanismo e a classe dominante nacional.
1 1 Para a classe dominante nacional, o absolutismo de D. Pedro I representava a garantia da manuteno de uma ordem que ajustava os seus principais interesses.
2 2 Economicamente, o Brasil vivia um longo hiato intercclico, no havendo nenhum produto de exportao que se salientasse.
3 3 A Abdicao de D. Pedro I deve ser vista, exclusivamente, pela sua motivao em favorecer sua filha D. Maria da Glria.
4 4 A monarquia logrou impor o centralismo unitarista acima de federalismo, criando uma unidade nacional.

Gabarito VFVFV

Comentrio
A independncia do Brasil foi um acordo poltico entre a elite agrria e D. Pedro I, ocorrendo uma ruptura poltica feita pelo herdeiro da Dinastia de Bragana, que a manteve intocabilidade do latifndio e da escravido, e preservou a unidade territorial do Brasil.

0-0) O conflito poltico entre o lusitanismo e a classe dominante nacional tornou-se evidente no projeto da mandioca, em 1823, pois o voto censitrio era baseado na renda em alqueiros de mandioca, excluindo politicamente os portugueses, reforando-se o carter xenofobista.
1-1) O absolutismo de D. Pedro I no estava de acordo com os interesses da elite dominante, pois significava uma ameaa ao processo de independncia poltica do Brasil. A aproximao do imperador com os portugueses radicados aqui representava a possibilidade de concretizar-se a monarquia dual, ou seja, D. Pedro I, era imperador do Brasil e soberano de Portugal ao mesmo tempo.
2-2) Economicamente, o Brasil vivia um longo perodo de crise da economia aucareira, no havendo nenhum produto de destaque para as exportaes. O caf s teria importncia no mercado europeu, a partir da segunda metade do sculo XIX.
3-3) D. Pedro I no aceitou o trono portugus aps a morte de D. Joo VI, em 1828. Passou o trono para a sua filha, D. Maria da Glria, no entanto no queria favorec-la, apenas apenas ganhar tempo, pois no estava preparado, naquele momento, para entrar em confronto direto com a elite agrria.
4-4) A opo pela monarquia como forma de governo, aps a independncia, era interesse da elite agrria, para impor o centralismo acima do federalismo, criando uma unidade nacional.

Questo 12
A crise do capitalismo liberal no perodo entre guerras , ao mesmo tempo, a crise do Estado liberal. Todavia, as crticas e as contestaes contra o capitalismo e suas formas liberais e democrticas no procedem apenas e exclusivamente dos socialistas e comunistas. Nesse perodo, apareceu tambm o Nazifascismo que teve como aspecto marcante

I II
0 0 entre fins de 1922 e incio de 1925, Mussolini suprimiu todas as liberdades constitucionais,instalando uma ditadura.
1 1 Roosevelt, reeleito em 1936 pela Suprema Corte dos EUA, reviu suas posies, sintetizadas em uma frase: tudo para o Estado, nada contra o Estado, ningum fora do Estado...
2 2 as principais caractersticas do Estado fascista eram: forte interveno na economia, controle da cultura e da educao, militarismo.
3 3 o militarismo de Hitler serviu para controlar a oposio e atrasou a recuperao industrial.
4 4 com uma bem montada mquina de propaganda, os nazistas conseguiram que a grande maioria da populao alem apoiasse o regime.

Gabarito VFVFV

Comentrio
A questo apresenta a derrota do modelo liberal-democrtico do ps-Primeira Guerra Mundial, abrindo espao para governos fortes com ideologia de direita, visando resolver as crises do capitalismo no ps-guerra, com interveno do Estado, apoiado pela sociedade.
0-0) A partir de 1925, Mussolini implantou uma ditadura, concentrando o poder no executivo. Os jornais de oposio foram fechados e os partidos polticos e sindicatos no-fascistas foram dissolvidos.
1-1) A frase apresentada na afirmativa sintetiza a doutrina fascista, que ampliava o domnio de Mussolini e contava com o apoio popular.
2-2) Alm das caractersticas apresentadas corretamente pela afirmativa, convm destacar a oposio ao comunismo e aos movimentos trabalhistas, forte autoritarismo e nacionalismo exacerbado.
3-3) O crescimento econmico ocorreu principalmente no setor blico; porm, as indstrias foram autorizadas a utilizar mo-de-obra compulsria de judeus e eslavos, dentre outros povos e minorias.
4-4) Eliminando os opositores e elevando a auto-estima da maioria da populao por meio da pregao da idia de superioridade da raa ariana, Hitler conseguiu o apoio da maioria da populao.


 
 2 de Dezembro de 2008

Questo 16 de Histria - UPE 2009

Resoluo da questo 16 de Histria

Questo 16

Em 1977, cabeludos, barbudos e inconformados com o sistema poltico, jovens traziam novamente para as ruas, em vrias cidades do Brasil, suas palavras de ordem e protesto. O crescimento dessa oposio traduzia-se na(s) no

I II
0 0 luta pelo estabelecimento do bipartidarismo poltico.
1 1 lembranas de lderes, professores, religiosos mortos e exilados.
2 2 luta pela construo da aliana com todos os setores democrticos.
3 3 campanha para instituio da justia do trabalho.
4 4 combate censura de entidades, como a Igreja Catlica, a Ordem dos Advogados do Brasil e a Associao Brasileira de Imprensa.

Gabarito FVVFV

Comentrio
O governo Geisel deu inicio ao processo lento e gradual da abertura poltica, tornando sem efeito o AI 05. No entanto, setores ligados ao seu governo no aceitaram a abertura poltica, torturavam e matavam presos polticos (o jornalista Vladimir Herzog e o operrio Manuel Fiel Filho, por exemplo). Tudo isso fez com que a oposio, embora censurada, surgisse por parte de alguns seguimentos da sociedade, tais como: a Igreja Catlica (CNBB), a OAB e a ABI.

0-0) Os Jovens cabeludos e barbudos eram contra o bipartidarismo, a Arena e o MDB
1-1) A oposio mandava celebrar missas relembrando os lderes, professores e religiosos mortos e exilados.
2-2) Defendiam a construo de uma aliana com todos os setores Democrticos.
3-3) A Justia do Trabalho foi uma criao da Era Vargas (a informao est indicada no item 4-4 da questo 14).
4-4) Os segmentos da sociedade que contestavam a ditadura eram censurados, tais como: a Igreja Catlica, a Ordem dos Advogados do Brasil e a Associao Brasileira de Imprensa.


 
 2 de Dezembro de 2008

Questes 01, 09, 14 e 15 de Histria - UPE 2009

Resoluo das questes 01, 09, 14 e 15 de Histria

Questo 01
A sociedade humana constri sua histria, buscando superar suas dificuldades e refletindo sobre seus problemas. O teatro uma representao artstica de grande valor no mundo ocidental, colaborando para conhecer as angstias humanas e as possibilidades de criao. Na Grcia Antiga, as tragdias, como produo artstica, tinham como objetivo

A) divertir a populao mais velha e educ-la para a vida democrtica na poltica e no cotidiano familiar.
B) redefinir o valor da religio, destruindo o significado dos mitos e inventando deuses mais astuciosos.
C) exaltar o poder da aristocracia, criticando a desigualdade social e defendendo a coragem dos heris militares.
D) refletir sobre os problemas humanos, com preocupaes educativas, para pensar nos limites existenciais de cada um.
E) enaltecer o povo grego, consagrando Homero e Sfocles como seus poetas picos, construtores de personagens imortais.

Gabarito D

Comentrio
A origem do teatro grego remonta s festas religiosas dedicadas a Dionsio. Como autores de tragdias, destacaram-se: squilo, que escreveu Prometeu Acorrentado, Sfocles (dipo Rei), e Eurpedes, autor de Media.
Em geral, as peas retratavam os problemas existenciais do ser humano, suas paixes, angstias e dificuldades de enfrentar as armadilhas que o destino colocava. Eram momentos de importantes reflexes, que contribuam para a educao e a formao dos gregos.

Questo 09
Wilson Taylor (1856 1915) foi um engenheiro obcecado por eficincia industrial, que defendeu o princpio da separao entre o trabalho de planejamento, realizado pelos gerentes, e o trabalho de execuo, realizado pelos trabalhadores. A partir do ano 1980, tiveram incio, no Reino Unido e nos Estados Unidos, as chamadas polticas neoliberais, que passaram a ser vistas como melhor resposta aos desafios da globalizao. (Thomaz
Wood), A vida como extenso da empresa, em Carta Capital, n. 500. 2008. Adaptado). Com esse novo modelo de poltica, seus valores e tcnicas migraram, rapidamente, para outros pases desenvolvidos e, ento, para Europa do Leste, sia e Amrica Latina. Essa nova conjuntura garantiu que o(a)

A) Brasil, ao assumir a poltica neoliberal, diminusse sua dvida social.
B) informao digital e a gentica passassem a ser estatizadas.
C) maioria das empresas passasse a controlar o acesso ao desenvolvimento dos softwares.
D) uso cada vez maior da informtica garantisse a privacidade e as informaes dos usurios.
E) acumulao de conhecimentos se tornasse sinnimo de acumulao de riquezas.

Gabarito E

Comentrio
Reagan, nos Estados Unidos, e Margareth Thatcher, primeira-ministra conservadora do Reino Unido, adotaram uma poltica que dominou o cenrio mundial durante os anos 1990, conhecida como neoliberalismo. Tal poltica uma adaptao das teorias do liberalismo clssico do sculo XVIII s condies do capitalismo atual, no qual se cria um Estado que no interfere nas atividades produtivas, devendo-se limitar a regulamentar a economia, estabelecendo as regras e mecanismos de funcionamento que assegurem a livre-concorrncia e a competio comercial, mas sem interferir diretamente no sistema produtivo.
A poltica neoliberal dominou as polticas ocidentais dos anos 1990, recomendando aos pases em desenvolvimento que privatizassem suas empresas estatais, abrissem sua economia ao mercado internacional e permitissem o incremento das trocas de mercadorias e servios. A adoo desse processo ficou conhecida como globalizao.

Questo 14
O Movimento de 1930 emergiu da ruptura interna das oligarquias e do crescimento das presses populares. O Getulismo consistiu na primeira grande modalidade de poltica populista no Brasil. Na prtica, essa poltica traduzia-se no (na)

I II
0 0 tipo de ideologia e de estilo de ao, determinado por Vargas, garantindo, ao mesmo tempo, o perfil de liderana carismtica, paternalista e personalista.
1 1 criao do Ministrio da Educao e Sade Pblica.
2 2 apoio dos assalariados Revoluo de 1930 que foi uniforme e incondicional.
3 3 interveno na vida econmica e nas relaes de trabalho, apoiando o Partido Comunista.
4 4 criao do Ministrio do Trabalho, Indstria e Comrcio.

Gabarito VVFFV

Comentrio
O movimento de 1930 emergiu da ruptura interna das oligarquias, do crescimento das presses populares e do tenentismo. O Getulismo consistiu na primeira modalidade de poltica populista no Brasil.

0-0) Vargas, ao assumir o poder em 1930, procurou assumir um perfil de liderana carismtica, paternalista e personalista. Tentava caminhar mantendo suas bases de apoio poltico, ao mesmo tempo que dava prosseguimento implantao de seu programa de centralizao poltica.
1-1) O Governo Provisrio (1930-1934), instituiu o Ministrio da Educao, com o ensino primrio obrigatrio e o Ministrio da Sade.
2-2) A Revoluo de 1930 no teve o apoio incondicional dos assalariados. Parte da classe operria estava engajada ao Partido Comunista. O prprio Lus Carlos Prestes, lder tenentista na dcada de 1920, no aceitou participar do movimento de 1930, pois no acreditava que, substituindo uma oligarquia por outra, poderia haver uma mudana social no Brasil.
3-3) Getlio Vargas intervinha na vida econmica e nas relaes de trabalho, porm sem apoiar o Partido Comunista. O Vargismo procurou esvaziar os sindicatos, controlando-os e atrelando-os ao Ministrio do Trabalho. Houve manipulao e controle sobre a classe operria, por meio do seu paternalismo, que procurava afast-la do Partido Comunista.
4-4) Sendo o controle a base da poltica social do governo com relao classe trabalhadora, o Decreto 19770 vinculava o reconhecimento dos sindicatos, a aprovao do seu estatuto ao Ministrio do Trabalho. A pea foi chamada Legislao Social, com o ministro Lindolfo Collor.

Questo 15

O famoso Milagre Brasileiro foi, sobretudo, uma retrica do Estado autoritrio, sustentado pela tecnoburocracia do aparelho civil-militar encastelado no poder. Vigorava o lema Desenvolvimento com Segurana, e a expresso Segurana Nacional era elstica, o bastante para reprimir toda e qualquer crtica ao modelo econmico implantado.
(Luiz Roberto Lopez, Histria do Brasil Contemporneo, P. Alegre, Mercado Aberto, 1987, p. 130)

Nesse perodo, assistimos ao(aos)

I II
0 0 crescimento da atuao das multinacionais no pas, especialmente, em reas de explorao mineral e produo industrial importantes.
1 1 aumento da concentrao da propriedade agrcola, com a modernizao do campo.
2 2 envolvimento da classe mdia nas campanhas, vinculadas imprensa, especialmente a TV, de protesto violncia que abatia os considerados subversivos.
3 3 alimentos industrializados, destinados a uma faixa salarial que podia compr-los, concorrerem com os naturais.
4 4 grandes grupos econmicos nacionais investirem pesado na indstria de bens de consumo.

Gabarito VVFVV

Comentrio
Com um forte esquema repressivo montado, Mdici governou procurando vender a imagem de que o Brasil encontrara o caminho do desenvolvimento econmico, criando um clima de euforia, que escondia a violncia dos aparelhos de represso.
0-0) Houve o crescimento da atuao das multinacionais no Brasil, especialmente, em reas de explorao mineral e de produo industrial. A perda das liberdades polticas era compensada pela modernizao econmica, consagrando a idia de desenvolvimento com segurana.
1-1) Manteve-se o modelo econmico intocvel da concentrao da propriedade agrcola com a modernizao do campo. Mecanizou-se o campo no sudeste para aumentar a produo agrcola. A tnica da poltica econmica do governo Mdici era ter uma balana de comrcio favorvel, aumentando as exportaes.
2-2) A classe mdia apoiou o governo Mdici. A ditadura militar calou os protestos da sociedade, fazendo-a consumir bens de artigos durveis produzidos pelas empresas multinacionais.
3-3) Apesar do poder de consumo no ter atingido todos os setores da sociedade, o governo prometia aumentar a riqueza do Brasil, para depois dividi-la com a populao desfavorecida. No entanto, o que ocorreu foi a perda do poder aquisitivo dos trabalhadores e o aumento da concentrao de renda.
4-4) Grandes grupos econmicos nacionais investiram na indstria de bens de consumo, sobretudo na indstria automobilstica.


 
 2 de Dezembro de 2008

Prova de Qumica 2 - UPE 2009

Resoluo da prova de Qumica 2

Questo 1
A titulometria utilizada comumente em laboratrio, na anlise qumica quantitativa.
Em relao anlise titulomtrica, CORRETO afirmar que

A) aps o trmino de uma titulao, o pH da soluo resultante igual a 7, quaisquer que sejam os titulantes e as amostras utilizadas.
B) a soluo usada como titulante, seja ela cido forte ou base fraca, no pode ser incolor, pois, se assim o fosse, dificultaria a identificao do ponto de equilbrio.
C) tecnicamente incorreto usar como titulante uma soluo de cido actico 0,001 mol/L, para titular uma soluo de hidrxido de sdio concentrada.
D) na titulao do cido acetilsaliclico, utilizando-se como titulante o hidrxido de sdio, o pH no ponto de equivalncia ser menor que 7.
E) a fenolftalena o indicador universal apropriado para a realizao de todas as titulaes, desde que a temperatura do laboratrio no ultrapasse 20oC.

Gabarito C

Comentrio
O pH final de uma titulao pode ser igual, menor ou maior que sete, dependendo das solues utilizadas. O ponto final da titulao evidenciado com o uso de indicadores, portanto, as solues utilizadas podem ser incolores. No h um indicador universal, a sua escolha depende do pH final da titulao. Por exemplo: na titulao do cido acetilsaliclico (fraco) com o hidrxido de sdio (base forte), o pH final ser maior que sete. No se usa, numa titulao, a soluo titulante muito diluda em relao soluo a ser titulada.

Questo 2


Gabarito C

Comentrio


Questo 3


Sobre as reaes que ocorreram nessas transformaes, CORRETO afirmar que

A) a impureza do xido de magnsio aproximadamente igual a 75%.
B) foi consumido na reao exatamente 0,60 mol do xido de magnsio.
C) foi consumido 0,025 mol de hidrxido de sdio, para neutralizar o cido sulfrico em excesso.
D) 3,92 mols de cido sulfrico foram consumidos na reao de neutralizao com o hidrxido de sdio.
E) foi consumido 0,015 mol de cido sulfrico na reao com o xido de magnsio.

Gabarito E

Comentrio


Questo 4


Gabarito B

Comentrio


Questo 5


Gabarito B

Comentrio


Questo 6


Gabarito D

Comentrio


Questo 7
A boa condutividade trmica dos metais atribuda aos eltrons livres. Quando aquecemos uma dada regio de uma pea metlica, os eltrons

A) deslocam-se rapidamente, atravs do metal, transferindo energia aos tomos de regies mais frias.
B) entram em subnveis de maior energia, facilitando a formao de estruturas cristalinas mais complexas.
C) dirigem-se para as regies mais internas, ocupando, preferencialmente, os orbitais dos tipos d e f.
D) ficam impossibilitados de se movimentarem, diminuindo a eletropositividade dos tomos.
E) so ejetados da pea metlica com altssimas velocidades, diminuindo a eletronegatividade dos tomos perifricos.

Gabarito A

Comentrio
Os eltrons livres dos metais ocupam orbitais que se estendem por todo o cristal metlico, o que garante um fcil deslocamento dos mesmos em funo do fornecimento de energia.

Questo 8


Gabarito C

Comentrio


Questo 9
O nilon 66 obtido atravs da reao entre um cido dicarboxlico e uma diamina. A primeira etapa da reao produz um composto que pertence funo

A) cetona.
B) isonitrila.
C) nitrila.
D) amida.
E) aldedo.

Gabarito D

Comentrio


Questo 10
A glicose pode ser evidenciada em laboratrio, atravs da reduo de ons Cu2+, utilizando-se o Licor de Fehling. Isso ocorre, porque, na estrutura da glicose, existe a funo

A) lcool.
B) aldedo.
C) cetona.
D) cido carboxlico.
E) ter.

Gabarito B

Comentrio
Os reativos de Fehling e Tollens so oxidantes fracos, sendo capazes de oxidar os aldedos e no oxidar a maioria das cetonas.

Questo 11
Assinale dentre as alternativas abaixo aquela que NO caracteriza uma reao de adio.

A) Acetileno + Brometo de Hidrognio.
B) Butadieno 1,3 + Iodo.
C) Hexano + Cloro.
D) Metilpropeno + gua.
E) Ciclobuteno + Cloreto de Hidrognio.

Gabarito C

Comentrio


Questo 12


Gabarito VFVFF

Comentrio


Questo 13


Gabarito FFVVF

Comentrio


Questo 14


Gabarito FVFVF

Comentrio



Questo 15


Gabarito VVVFF

Comentrio


Questo 16


Gabarito FVFVV

Comentrio


 
 2 de Dezembro de 2008

Questes 04, 05 e 08 de Histria - UPE 2009

Resoluo das questes 04, 05 e 08 de Histria

Questo 04
A religio teve importncia para a Idade Mdia em amplos aspectos da sua vida social. Alm do seu destaque poltico, merece ressaltar figuras, como Toms de Aquino, pensador influente, que, no perodo Medieval,

A) foi um crtico dos costumes da poca, sendo partidrio de heresias que incomodavam o clero secular.
B) se firmou como um dos pensadores importantes da Igreja Catlica, embora tivesse ligaes filosficas com Aristteles.
C) negou a necessidade de acreditar em Deus de forma institucional, defendendo o pensamento de santo Agostinho.
D) influenciou as idias da Igreja no perodo da Alta Idade Mdia, com sua exaltao da f individual.
E) se tornou o centro do pensamento cristo no Ocidente, construindo uma reflexo a partir de Plato e dos pr-socrticos.

Gabarito B

Comentrio
Seu maior mrito foi a sntese do Cristianismo com a viso aristotlica do mundo, de forma a obter uma slida base filosfica para a teologia. A partir de So Toms de Aquino, a Igreja tem uma teologia (fundada na revelao) e uma filosofia (baseada no exerccio da razo humana) que se fundem numa sntese definitiva: f e razo, unidas em sua orientao comum rumo a Deus. Ele sustentou que a filosofia no pode ser substituda pela teologia e que ambas no se opem. Afirmou, tambm, que no pode haver contradio entre f e razo.
So Toms de Aquino explica que toda a criao boa, tudo o que existe bom, por participar do ser de Deus; o mal a ausncia de uma perfeio de vida e a essncia do mal a privao ou a ausncia do bem.

Questo 05
As sociedades mudam suas prticas sociais e conservam outras atravs da sua convivncia no decorrer do tempo histrico. Na poca da colonizao portuguesa, havia, no Brasil, uma sociedade marcada pela escravido e a injustia social. Nos engenhos produtores de acar,

A) predominava o trabalho escravo e o poder dos proprietrios, sem a interferncia da religio, ausente do ncleo de dominao.
B) havia mais liberdade social do que nos centros urbanos, devido presena de ncleos de trabalho livre em quantidade expressiva.
C) permaneciam relaes de poder patriarcais na vida social, sendo a riqueza produzida importante para Portugal e sua colonizao.
D) mantinham-se prticas sociais hierarquizadas para os escravos, havendo liberdade para as mulheres.
E) existia uma participao dos valores do catolicismo numa luta cotidiana contra a escravido dominante nas relaes sociais.

Gabarito C

Comentrio
Nos engenhos de acar do Nordeste, surgiu uma sociedade marcada pela famlia patriarcal e pela falta de mobilidade social. Localizada na Zona da Mata nordestina, utilizava a mo-de-obra escrava africana. Tinha uma produo voltada para o mercado externo, pois a funo da colnia era complementar a economia metropolitana, fornecendo a matria-prima e recebendo os produtos manufaturados atravs do Pacto Colonial.

Questo 08
Muitas revoltas tornavam claras as insatisfaes dos colonos contra os desmandos de Portugal. Havia tambm a divulgao das idias liberais, importantes para aprofundar a crise do sistema colonial. Nesse contexto, a Conspirao dos Suassunas em Pernambuco

A) destacou-se pela sua organizao militar e seu iderio iluminista.
B) estimulou o debate poltico contra o sistema colonial portugus.
C) firmou a existncia de ncleos politicamente conservadores.
D) foi sem importncia para o movimento libertrio de Pernambuco.
E) era um movimento restrito aos intelectuais do Seminrio de Olinda.

Gabarito B

Comentrio
A chamada Conspirao dos Suassunas foi um projeto de revolta que se registrou em Olinda, na ento Capitania de Pernambuco, no alvorecer do sculo XIX.
Influenciadas pelas idias do Iluminismo e pela Revoluo Francesa (1789), algumas pessoas reuniram-se e fundaram o Arepago de Itamb (1796). As idias e os eventos eram tambm discutidos pelos padres e pelos alunos no Seminrio de Olinda, fundado em 1800.
O Arepago de Itamb, fundado por Manuel de Arruda Cmara, membro da Sociedade Literria do Rio de Janeiro, era uma espcie de sociedade secreta na qual se reuniam maons e leigos. Vale salientar que europeus no participavam dessa sociedade.
O Seminrio de Olinda, fundado pelo Bispo D. Jos Joaquim da Cunha Azeredo Coutinho, em 16 de Fevereiro de 1800, teve entre seus membros o padre Miguel Joaquim de Almeida Castro (padre Miguelinho), um dos implicados na revoluo de 1817.
As discusses filosficas e polticas, no Arepago, evoluram para uma conjurao contra o domnio portugus no Brasil, com o projeto de emancipao de Pernambuco, constituindo-se uma Repblica sob a proteo de Napoleo Bonaparte. Integravam o grupo de conspiradores os irmos Cavalcanti Francisco de Paula, Lus Francisco de Paula e Jos Francisco de Paula Cavalcanti e Albuquerque o primeiro proprietrio do Engenho Suassuna, que daria nome ao movimento.
Em 21 de maio de 1801, um delator informou s autoridades da Capitania os planos dos conjurados, o que conduziu deteno de diversos implicados. Instaurado o processo de devassa, entretanto, vieram a ser absolvidos mais tarde, por falta de provas.
O Aerpago foi fechado em 1802, sendo reaberto mais tarde sob o nome de Academia dos Suassunas, com sede no mesmo engenho, palco das reunies dos antigos conspiradores.
O episdio pouco conhecido na historiografia e do Brasil, uma vez que a devassa ocorreu em sigilo na poca, devido elevada posio social dos implicados.
O movimento inscreve-se no contexto de Crise do Antigo Sistema Colonial. Apesar da represso aos envolvidos, os seus ideais voltaram a reaparecer, anos mais tarde, na Revoluo Pernambucana de 1817.


 
 2 de Dezembro de 2008

Questes 04, 05, 06 e 07 de Fsica 2 - UPE 2009

Resoluo das questes 04, 05, 06 e 07 de Fsica

Questo 04

Uma esfera de chumbo lanada em uma piscina cheia de gua, a uma temperatura uniforme. A partir do instante em
que a esfera encontra-se totalmente submersa, CORRETO afirmar que

A) o empuxo sobre a esfera nulo, medida que a esfera afunda.
B) o empuxo sobre a esfera aumenta, enquanto a esfera afunda.
C) o empuxo sobre a esfera diminui, enquanto a esfera afunda.
D) o empuxo sobre a esfera constante, enquanto a esfera afunda.
E) medida que a esfera afunda, no princpio, o empuxo sobre ela diferente de zero, mas se torna zero, uma vez que a velocidade final alcanada.

Gabarito D

Comentrio


Questo 05



Gabarito C

Comentrio


Questo 06



Gabarito B

Comentrio


Questo 07



Gabarito E

Comentrio



 
 2 de Dezembro de 2008

Questes 01, 02 e 03 de Fsica 2 - UPE 2009

Resoluo das questes 01, 02 e 03 de Fsica 2

Questo 01

No sistema representado na figura abaixo, dois blocos tm massas iguais e esto ligados por um fio de massa desprezvel. Na superfcie do plano inclinado, o bloco desloca-se sem atrito. O coeficiente de atrito cintico entre o plano horizontal e o bloco 0,4, e o atrito na roldana da corda, desprezvel. Nessas condies, a acelerao do sistema vale em m/s2



Gabarito C

Comentrio


Questo 02

Um corpo A de massa M abandonado na posio 1 e desliza ao encontro do corpo B. Outro corpo B de mesma massa est em repouso na posio 2. As foras resistivas so desprezveis, e o choque perfeitamente elstico. Considere nula a energia potencial no nvel de referncia (NR) indicado na figura abaixo.



Analise as afirmativas abaixo.

I. Imediatamente antes do choque, o corpo A tem energia cintica igual a MgH.
II. Aps o choque, o corpo A fica em repouso na posio 2, e o corpo B ocupa a posio 3.
III. Aps o choque, o corpo A volta posio 1, e o corpo B ocupa a posio 3.
IV. Aps o choque, a energia mecnica do corpo A Mg (H + h).

CORRETO afirmar que

A) apenas a afirmativa II est correta.
B) apenas a afirmativa I est correta.
C) as afirmativas II e IV esto incorretas.
D) as afirmativas I e II esto corretas.
E) as afirmativas II e III esto incorretas.

Gabarito D

Comentrio


Questo 03

Um carrinho de massa m abandonado do repouso no ponto A de uma montanha russa a uma altura H. Considere o
trecho BCD como sendo um arco de circunferncia de raio R e desprezveis todas as foras resistivas ao movimento. A
expresso que representa a fora normal ( N ) no ponto C dada por:



Gabarito A

Comentrio


 
 2 de Dezembro de 2008

Prova de Qumica 1 - UPE 2009

Resoluo da prova de Qumica 1

Questo 1
01. A mistura lcool + gua (95% lcool, 5% de gua) denominada de mistura azeotrpica. Em relao a essa mistura, CORRETO afirmar que

A) a separao de seus componentes obtida, adicionando-se xido de clcio mistura e, em seguida, realizando-se uma filtrao com papel de filtro adequado.
B) a separao dos componentes da mistura obtida, submetendo-se a mistura a uma destilao fracionada, seguida de uma filtrao temperatura constante.
C) no possvel separar a gua do lcool, pois o lcool e a gua so infinitamente miscveis em quaisquer propores, sob quaisquer condies fsicas ou qumicas.
D) a separao dos componentes da mistura possvel, apenas, pela adio de anidrido sulfrico, pois esse xido, ao reagir com a gua, origina o cido sulfrico, que, por decantao, se separa do lcool.
E) a separao dos componentes da mistura facilmente obtida, adicionando-se sdio metlico, pois toda gua transformada em hidrognio gasoso que se desprende do sistema.

Gabarito A

Comentrio
CaO + H2O - Ca(OH)2
O hidrxido formado pouco solvel em H2O e insolvel em lcool

Questo 2
A composio qumica do gro de milho no constante, podendo variar de acordo com o solo onde foi cultivado. O ferro um dos minerais encontrados em sua composio qumica, na proporo de 56mg/kg de
milho. Admita que uma espiga de milho tenha 125 gros rigorosamente iguais entre si e pese 62,5g. Quantos tomos de ferro uma galinha que come um gro de milho, depois de digerido, acrescenta ao seu organismo aproximadamente?



Gabarito A

Comentrio


Questo 3
Os jornais do Brasil publicaram que o relator da ONU solicitou, em seu discurso que se limite a produo de biocombustveis para fazer frente alta de preos dos alimentos que se propaga em todo o mundo.
Ele acusa a produo dos biocombustveis como a responsvel pela alta dos preos dos alimentos.Em relao aos biocombustveis, CORRETO afirmar que

A) so combustveis de origem no fssil, derivados, apenas, da cana-de-acar.
B) so combustveis de origem fssil, mas com um teor bem menor de enxofre que o da gasolina.
C) so derivados, apenas, das sementes de girassol, mamona e algodo, sendo, portanto, mais poluentes que a gasolina em relao emisso de SO2.
D) a atual produo dos biocombustveis em nosso pas interfere, em curto prazo, na oferta de feijo, peixe e arroz que so os principais alimentos dos brasileiros.
E) so fontes de energias renovveis, derivadas de vrias matrias-primas de origem no fssil, como a mamona, soja, lixo orgnico, dentre outros tipos.

Gabarito E

Comentrio
So combustveis renovveis, derivados de matrias-primas que podem ser cultivadas ou preparadas pelo homem. O Brasil pioneiro na utilizao desse recurso, sendo o principal exemplo o lcool combustvel.

Questo 4
Pesquisas mostram que o espinafre um dos alimentos vegetais que mais contm ferro e clcio. Entretanto, esses minerais so pouco aproveitados pelo organismo em funo da alta percentagem de cido oxlico no vegetal.
Uma possvel explicao para a diminuio da biodisponibilidade do clcio que

A) o clcio perfeitamente solubilizado pelo cido oxlico, sendo eliminado totalmente pela urina.
B) o cido oxlico reage com o ferro, formando um composto que absorve todo o clcio ingerido.
C) o cido oxlico, ao reagir com sais solveis de clcio, forma oxalato de clcio, que pouco solvel, diminuindo, portanto, sua biodisponibilidade.
D) todo clcio presente no organismo transformado, aps sucessivas reaes qumicas, em cido oxlico, insolvel em meio aquoso.
E) o cido oxlico, ao reagir com o on clcio, oxida-o, transformando-o em tomos de clcio, que no so absorvidos pelo organismo.

Gabarito C

Comentrio


Questo 5
Conforme dados de fontes especializadas, para cada km2 de terra plantada com milho, obtm-se 200kg do produto. Sabe-se, tambm, que 1kg de milho produz 0,40L de etanol.
Para uma viagem de ida e volta, Recife-Manaus, cuja distncia aproximada entre as cidades de 6.000km, utilizando-se um veculo que percorra 7,5km/L, de lcool, necessita-se de uma quantidade de etanol correspondente a uma rea plantada com milho, aproximadamente, igual a



A) 1% da rea da cidade do Recife.
B) 12% da rea da cidade do Recife.
C) 8% da rea da cidade do Recife.
D) 3% da rea da cidade do Recife
E) 10% da rea da cidade do Recife.

Gabarito E

Comentrio


Questo 6
O bafmetro um aparelho utilizado pela Polcia Rodoviria para determinar a concentrao de lcool no sangue de uma pessoa, atravs da anlise do ar exalado pelos pulmes.
H uma correspondncia entre a concentrao do lcool no hlito das pessoas e a quantidade de lcool presente no sangue. No Brasil, o mximo permitido pela Lei de 0,60g de etanol/L de sangue.
A equao abaixo mostra a transformao do etanol em cido actico ao passar pelo bafmetro.




Aps a anlise do texto acima, VERDADEIRO afirmar que

A) o etanol, quando reduzido em meio sulfrico, transforma-se em cido etanico.
B) um motorista adulto no Brasil s poder ingerir, no mximo, 2,0 mL de etanol puro, para no ser considerado um infrator das Leis de trnsito do pas.
C) o etanol exalado pelo motorista transformado em cido actico pela ao oxidante do cido sulfrico.
D) um motorista adulto, cujo teste do bafmetro acuse mais de 4,0mL de etanol puro no sangue, ser considerado um infrator pelas Leis de trnsito do pas.
E) o princpio do bafmetro no se aplica, quando o motorista ingere bebidas alcolicas fermentadas, ocorrendo, apenas, em relao s destiladas e envelhecidas.

Gabarito D

Comentrio


Questo 7
Em relao configurao eletrnica do tomo do elemento qumico chumbo (Z=82), CORRETO afirmar que

A) h um orbital do tipo f semipreenchido e dois orbitais completos.
B) h quinze orbitais do tipo d completos, isto , cada um dos quais contendo dois eltrons.
C) h, apenas, um orbital do tipo f completo, isto , com catorze eltrons.
D) existem quatro orbitais completos do tipo p e um incompleto.
E) existem apenas dois eltrons na ltima camada e catorze na antepenltima camada eletrnica do tomo.

Gabarito B

Comentrio


Questo 8
A galvanoplastia largamente usada pela indstria como processo de revestimento de superfcie metlica com outros metais, utilizando-se a eletrlise.
O grfico abaixo representa a variao da intensidade da corrente eltrica(i), que atravessa uma cuba eletroltica, contendo uma soluo aquosa de nitrato de prata, em funo do tempo, em um processo de prateao.



CORRETO afirmar que a massa de prata liberada no ctodo igual a

A) 10,80g
B) 108,0g
C) 5,40g
D) 54,0g
E) 0,54g

Gabarito E

Comentrio


Questo 9
Analise atentamente as afirmativas abaixo.

I. O propanol e a propanona exemplificam um caso de isomeria.
II. O metoxi-etano um ismero do 2-propanol.
III. 1-propanol um ismero do 2-propanol.
IV. A propilamina um ismero da trimetilamina.

Esto CORRETAS

A) apenas II e III.
B) apenas I, II e III.
C) apenas I e II.
D) apenas II e IV.
E) I, II, III e IV.

Gabarito NULA

Comentrio


Questo 10
O solvente industrial etanoato de etila pode ser quimicamente obtido a partir da reao entre o cido actico o

A) etano.
B) eteno.
C) 2-buteno.
D) etanol.
E) etanal.

Gabarito D

Comentrio


Questo 11
A ozonlise de um alceno ramificado com um radical (metil) ligado a um dos carbonos da dupla ligao, quando convenientemente realizada, apresenta como um dos produtos da reao

A) metilamina.
B) composto halogenado.
C) cetona.
D) amida, apenas.
E) lcool secundrio.

Gabarito C

Comentrio


Questo 12
Sobre as propriedades das funes inorgnicas, so apresentadas as afirmativas abaixo. Analise-as e conclua.

I II
0 0 O cloreto de hidrognio uma substncia muito cida e corrosiva, razo pela qual o pH da referida substncia no estado lquido prximo de zero.
1 1 O cido ntrico um agente oxidante muito utilizado em laboratrio, em diversas reaes qumicas.
2 2 A destruio de florestas, a diminuio da produo de alimentos e o aumento das doenas do aparelho respiratrio nos humanos esto associados queima de combustveis contendo enxofre.
3 3 O monxido de carbono um xido muito perigoso quando inalado, podendo levar morte por asfixia, em conseqncia do aumento de acidez que ele provoca no sangue.
4 4 A bula de um remdio indica que ele serve, dentre outras indicaes, para hiperacidez. Isso nos permite concluir que o hidrxido de alumnio um provvel componente na formulao qumica desse remdio.

Gabarito FVVFV

Comentrio


Questo 13


Gabarito FVFFV

Comentrio


Questo 14


Gabarito VFFFV

Comentrio


Questo 15


Gabarito VVFFF

Comentrio


Questo 16


Gabarito VVFFV

Comentrio


 
 2 de Dezembro de 2008

Questo 07 de Histria - UPE 2009

Resoluo da Questo 07 de Histria

Questo 07

Olinda e Recife viveram momentos histricos diferentes desde os tempos da colonizao portuguesa. Chegaram, inclusive, a ter conflitos que assinalavam divergncias de interesse. Um deles, a Guerra dos Mascates, que

A) mostrou a decadncia econmica de Olinda que sofria com suas dvidas financeiras em crescimento.
B) afirmou a importncia poltica do Recife, com seu rico porto, independente at das ordens vindas de Portugal.
C) consagrou o poderio da aristocracia olindense, com amplo domnio da produo do acar na colnia.
D) consolidou o governo de Castro e Caldas, aliado dos recifenses e lder poltico no conflito.
E) criou condies para recuperao de Olinda, dificultando as atividades comerciais do Recife.

Gabarito
Letra A

Comentrio
Em 1710 Recife foi elevada a categoria de vila, chegando ao nvel de Olinda. Nesse perodo, vila do Recife era povoada por muitos comerciantes portugueses. O comrcio tornou-se forte devido ao porto, que era a porta de entrada dos produtos europeus em Pernambuco.
A crise da economia do acar provocou a decadncia dos senhores de engenho e, conseqentemente, da vila de Olinda (residncia da aristocracia pernambucana). No contexto do final do sculo XVII e incio do sculo XVIII, os senhores de engenho dvidas cada vez maiores junto aos comerciantes portugueses do Recife. Com isso, a Guerra dos Mascates foi muito mais um conflito entre credores (comerciantes do recifenses) e devedores (senhores de engenho olindenses).


 
 2 de Dezembro de 2008

Provas e Gabaritos UPE 2009

Veja em primeira mo as provas e o gabarito da UPE 2009

Clique aqui para baixar o gabarito do 3 dia da UPE 2009.
Clique aqui para baixar a prova de historia.
Clique aqui para baixar a prova de fsica I.
Clique aqui para baixar a prova de fsica II.
Clique aqui para baixar a prova de qumica I.
Clique aqui para baixar a prova de qumica II.


 
 2 de Dezembro de 2008

GABARITO 3 DIA UPE

Saiu o gabarito da UPE 2009 do 3 dia

Gabarito UPE 2009:

Fsica I:
01 (C). 02 (E). 03 (A). 04 (D). 05 (D). 06 (C). 07 (B). 08 (E). 09 (A). 10 (D). 11 (B). 12 VFVVF. 13 VVFVF. 14 VVFFV. 15 VFVFF. 16 FVFVV

Fsica II:
01 (C). 02 (D). 03 (A). 04 (D). 05 (C). 06 (B). 07 (E). 08 (A). 09 (B). 10 (E). 11 (A). 12 FVVFV. 13 VVVFF. 14 FFVFV. 15 VFFVV. 16 FFVFF

Qumica I:
01 (A). 02 (A). 03 (E). 04 (C). 05 (E). 06 (D). 07 (B). 08 (E). 09 (E). 10 (D). 11 (C). 12 FVVFV. 13. FVFFV. 14 VFFFV. 15 VVFFF. 16 VVVVV.

Qumica II:
01 (C). 02 (C). 03 (E). 04 (B). 05 (B). 06 (D). 07 (A). 08 (C). 09 (D). 10 (B). 11 (C). 12 VFVFF. 13 FFVVF. 14 FVFVF. 15 VVVFF. 16 FVFVV

Histria:
01 (D). 02 (B). 03 (C). 04 (B). 05 (C). 06 (D). 07 (A). 08 (B). 09 (E). 10 (A). 11 (D). 12 VFVFV. 13 VFVFV. 14 VVFFV. 15 VVFVV. 16 FVVFV


 
 1 de Dezembro de 2008

Prova de Matemtica 2 - UPE 2009

Resoluo da prova de Matemtica 2

Questo 01



Gabarito D





Questo 02

Numa cidade, os trs jornais de maior circulao so A, B e C. Se um leitor escolhido ao acaso, a probabilidade de ser leitor de A 1 /2, de B, 14/25 e de C, 9 / 25. A probabilidade de ser leitor de A e B 3 / 10, de A e C a mesma que de B e C, sendo esta probabilidade 4/25, e a probabilidade de o leitor ler os trs jornais 1/50.

Escolhendo um leitor aleatoriamente, CORRETO afirmar que a probabilidade de este ler, pelo menos, um dos jornais







Questo 03

Na eleio para prefeito de uma cidade, os candidatos A e B foram para o 2 turno. Em uma pesquisa de opinio sobre inteno de voto no segundo turno da eleio, uma amostra de eleitores revelou que

360 votariam no candidato A.
480 votariam no candidato B e eram contra a lei.
44% dos eleitores estavam indecisos.

A porcentagem de eleitores que votariam no candidato A, em relao ao total de entrevistados, foi

A) 21%
B) 22%
C) 24%
D) 23%
E) 25%


Gabarito C





Questo 04



Gabarito C





Questo 05



Gabarito E





Questo 06







Questo 07







Questo 08

A seco meridiana de um cone um tringulo issceles de 96 cm de permetro cuja altura vale 4/3 do raio da base do cone. Corta-se o cone por um plano paralelo base e a uma distncia do vrtice igual a 1/3 da altura. Calcular a razo entre as reas laterais do tronco e do cone parcial obtidos.

A) 5
B) 6
C) 7
D) 8
E) 9

Gabarito D




Questo 09




Gabarito A





Questo 10

O grfico abaixo representa uma funo trigonomtrica definida por f(x) = A + B sen(m x).




CORRETO afirmar que
A) A = 2, B = 3 e m = 2
B) A = 3, B = 2 e m = 4
C) A = 3, B = - 2 e m = 3
D) A = 3, B = - 2 e m = 2
E) A = -3, B = 1 e m = 4

Gabarito D





Questo 11

Analise as afirmativas abaixo.




CORRETO afirmar que apenas
A) I verdadeira.
B) II verdadeira.
C) I e II so verdadeiras.
D) II e III so verdadeiras.
E) III verdadeira.


Gabarito no h resposta entre as alternativas.



Nas questes de 12 a 16, assinale, na coluna I, as afirmativas verdadeiras e, na coluna II, as falsas.

Questo 12




Gabarito FVFFV





Questo 13




Gabarito: VVFVV
Gabarito contestado: VVVVV





Questo 14




Gabarito FFFVV





Questo 15
Sobre o binmio de Newton e anlise combinatria, analise as proposies



Gabarito: VFFVV
Gabarito contestado: VFVVV






Questo 16




Gabarito VVVFV





 
 1 de Dezembro de 2008

Prova de Biologia 2 - UPE 2009

Resoluo da prova de Biologia 2

Questo 1
O exame de sangue representa um mecanismo de averiguao da condio fisiolgica de uma pessoa em vrios aspectos. Em tempos de Olimpadas, Copas do mundo e grandes jogos, o exame antidoping dos atletas passa a ter uma ateno especial por parte das comisses organizadoras. Atravs da anlise do sangue, possvel detectar vrias drogas utilizadas como doping.
Doenas tambm so detectadas alm das necessidades de nutrientes ou desequilbrios na composio qumica sangnea. Sobre o tecido sangneo, sua composio natural, caractersticas e produo no organismo humano, analise as afirmativas.

I. uma variedade de tecido conjuntivo. A sua matriz extracelular o plasma. Dentre os ons dissolvidos no plasma, temos: sdio, magnsio, cloro, clcio, potssio e bicarbonato.
II. A anemia uma doena do sangue proveniente de causas diversas. A siclemia ou anemia falciforme hereditria, causada pela mutao do gene codificante da cadeia da hemoglobina. H substituio de um cido glutmico da hemoglobina normal por valina, na hemoglobina siclmica.
III. Na coagulao sangnea, os ons Ca+2 e K+ agem conjuntamente com a tromboplastina e catalisam a reao de converso da trombina (inativa) em protrombina (forma ativa da enzima), que representa uma das fases do processo coagulatrio do sangue.
IV. As substncias naturalmente transportadas pelo sangue incluem: glicose, aminocidos, vitaminas, hormnios, amnia, uria, oxignio e gs carbnico.

Assinale a alternativa CORRETA.

A) Apenas I, II e III esto corretas.
B) Apenas II e III esto corretas.
C) Apenas III e IV esto corretas.
D) Apenas I, II e IV esto corretas.
E) Apenas a IV est correta.

Gabarito D
Tema: Histologia Animal
Nvel: mdio




Questo 2
Faa a associao entre as trs colunas da tabela abaixo.



Assinale a alternativa que apresenta a associao CORRETA.

A) I-1-B; II-4-D; III-3-C; IV-2-A.
B) I-2-D; II-3-B; III-4-C; IV-1-A.
C) I-4-C; II-2-B; III-3-D;IV-1-A.
D) I-3-D; II-1-B; III-4-A; IV-2-C.
E) I-4-A; II-3-C; III-1-B; IV-2-D.

Gabarito B
Tema: Histologia Animal
Nvel: fcil


A questo correlaciona tecidos animais com as suas principais caractersticas e os seus tipos celulares.



Questo 3
Dentre os tipos de esterides, grupo particular de lipdios, o mais abundante nos tecidos animais. Est na composio da membrana plasmtica das clulas animais. produzido em nosso prprio corpo, principalmente no fgado. Trata-se de composto qumico, precursor da vitamina D e dos hormnios estrgeno e testosterona.

O texto refere-se a

A) Triglicerdeo.
B) Colesterol.
C) Caroteno.
D) Glicerol.
E) Glicognio.

Gabarito B
Tema: Bioqumica
Nvel: fcil

Os esterides correspondem a uma classe especial de lipdios cujo prottipo o colesterol.



Questo 4
O ramo da Biologia especializado no estudo dos fungos a Micologia. Tm como habitat os mais diferentes substratos terrestres ou podem ser aquticos.
Os fungos mais representativos so os cogumelos e as orelhas-depau, classificados como basidiomicetos. Nos basidiomicetos, a reproduo caracterizada por

A) constituir estruturas denominadas sordios, com propagao na forma assexuada de reproduo.
B) possuir, no corpo de frutificao, um basdio dicaritico que sofre meiose e forma quatro ncleos. Aps mitoses, cada basdio contm oito esporos.
C) apresentar um corpo de frutificao denominado basidiocarpo. Nos basdios, cada ncleo diplide sofre meiose e origina quatro ncleos haplides, formando-se, assim, quatro esporos.
D) apresentar muitos basdios alongados, contendo cada um oito basidisporos haplides.
E) possuir forma assexuada com corpo de frutificao pouco desenvolvido. Dois esporos flagelados formam-se nas extremidades das hifas sexuadas atravs da mitose.

Gabarito C
Tema: Seres Vivos
Nvel: mdio

Nos basidiomicetos, que apresentam corpo de frutificao bem desenvolvido, denominado basidiocarpo, ocorre a formao de quatro esporos haplides, denominados basidisporos.


Questo 5
Interprete o heredograma abaixo e determine o mais provvel padro de herana.



Em relao ao heredograma, assinale a alternativa CORRETA.
A) Herana recessiva ligada ao sexo.
B) Herana dominante ligada ao sexo.
C) Herana autossmica dominante.
D) Herana holndrica dominante.
E) Herana holndrica recessiva.

Gabarito A
Tema: Gentica
Nvel: fcil

Como visto no casal II 3 e 4, trata-se de uma herana recessiva ao sexo, atingindo, principalmente, os indivduos do sexo masculino. Os genes que determinam esta herana esto localizados na parte do cromossomo X no homloga ao Y.



Questo 6
Na tirinha abaixo do nquel nusea Fernando Gonzales, h um dilogo entre uma raposa e um ourio-domato.


Esses animais so mamferos de hbitos noturnos. A raposa-vermelha Vulpes vulpes (Mammalia, Carnivora) um dos carnvoros com maior distribuio no mundo.
O ourio-do-mato Chaetomys subspinosus (Mammalia, Rodentia) um roedor ameaado de extino em nvel vulnervel.

Considerando-se os nveis taxonmicos de classificao, sobre o grau de parentesco entre esses dois animais, CORRETO afirmar.

A) Pertencem a mesma espcie animal.
B) So de mesma classe e filo animal.
C) So de mesma ordem e classe animal.
D) So de espcies diferentes, mas parentes em nvel de gnero e classe.
E) No h grau de parentesco evolutivo.

Gabarito B
Tema: Taxonomia
Nvel: fcil

A raposa-vermelha Vulpe vulpes e o ourio-do-mato Chaetomys subspinosus pertencem classe Mammalia e, portanto, todas as categorias taxonmicas acima dela sero iguais (filho e reino).



Questo 7
Na reproduo sexuada das plantas, a alternncia de gerao est presente no ciclo de vida, desde os vegetais mais simples, como as brifitas, at os vegetais mais evoludos, como as angiospermas.
A figura abaixo mostra, atravs de esquema, esta alternncia de gerao, com ciclo haplodiplobionte das plantas.



Sobre as caractersticas da reproduo e do ciclo de vida dos organismos pertencentes ao reino Plantae, considere as afirmativas abaixo.


I. Nas brifitas e pteridfitas, a fase gametoftica duradoura, e a esporoftica efmera e dependente. Nas gimnospermas e angiospermas, ocorre o inverso, e a fase gametoftica reduzida a estruturas florais.
II. A meiose que produziu o esporo denominada esprica ou intermediria, por estar situada entre as geraes esporofticas e gametofticas.
III. Ao germinar, o esporo diplide origina um gametfito. Este produzir gametas masculinos e femininos, denominados, respectivamente, anterozide e oosfera.
IV. Por mitose, o gametfito produz gametas(n) masculinos e femininos, denominados gros-de-plen e ooferas, nas angiospermas.

Assinale a alternativa que rene as afirmativas CORRETAS.
A) I, II e III.
B) II, III e IV.
C) I e III.
D) II e IV.
E) III e IV.


Gabarito D
Tema: Botnica
Nvel: mdio

I A fase gametoftica duradoura apenas nas brifitas.
III O esporo uma estrutura haplide.

Observao:
No item IV, erroneamente, foi colocado o gro de plen como gameta masculino, quando na verdade, ele o precursor do mesmo. Portanto, a questo fica sem resposta.


Questo 8
As funes vitais nos cordados evidenciam evoluo e adaptaes, que favorecem a sobrevivncia desses animais nos diversos ecossistemas em que so encontrados. Analise as caractersticas da fisiologia animal citadas abaixo.

I. Tetrpodes, com pele ricamente queratinizada.
II. Corao com trs cavidades: dois trios e um ventrculo. Circulao dupla e incompleta. Heterotermos.
III. Excreo: rins e cloaca. O cido rico a excreta nitrogenada principal.
IV. Amniotas, ovparos e ovovivparos.
V. Anexos embrionrios: mnio, crio, vescula vitelnica e alantide.

Assinale a alternativa que relaciona CORRETAMENTE as classes animais e suas caractersticas.
A) I, III e V caracterizam aves e rpteis.
B) I, II e III caracterizam anfbios e rpteis.
C) IV e V caracterizam aves e mamferos.
D) II e IV caracterizam anfbios e aves.
E) III e IV caracterizam anfbios, rpteis e aves.

Gabarito A
Tema: Zoologia
Nvel: fcil

II Corao com trs cavidades, circulao dupla e incompleta e heterotermia so caractersticas observadas nos anfbios e na maioria dos rpteis.
IV Os rpteis so animais amniotas ovparos e ovovivparos.


Questo 9
Considere o grfico abaixo sobre a variao da concentrao de anticorpos presentes no plasma, ao longo de 60 dias, em resposta introduo de antgenos no organismo de um mesmo indivduo.


Em relao s respostas imunolgicas, analise as afirmativas a seguir.

I. Na resposta imunolgica primria, o tempo para produo de anticorpos maior que na resposta secundria. A primeira corresponde imunizao passiva, e a segunda, imunizao ativa.
II. Na primeira inoculao, os antgenos so fagocitados pelos linfcitos T auxiliadores. Estes passam a informao para os linfcitos T citotxicos, produtores de anticorpos.
III. A resposta secundria est relacionada com memria imunolgica, por isso mais rpido o aumento da concentrao de anticorpos.
IV. Os anticorpos produzidos so especficos para cada tipo de antgeno e so denominados genericamente imunoglobulinas (Ig). As IgG so imunoglobulinas que passam para o feto, via placentria.
V. A primeira inoculao corresponde administrao de vacina, com resposta lenta, mas de duradoura eficincia, e a segunda inoculao corresponde administrao de soro, com resposta imediata, porm de pouca durao.

Assinale a alternativa CORRETA.
A) Apenas I, II e III esto corretas.
B) Apenas I, II e V esto corretas.
C) Apenas III e IV esto corretas.
D) Apenas IV e V esto corretas.
E) Apenas a V est correta.

Gabarito C
Tema: Imunologia (programa de sade)
Nvel: mdio

I Ambos os mecanismos citados no texto so ativos.
II Os linfcitos T auxiliadores no fagocitam, e sim, identificam os antgenos.
V Ambos os mecanismos correspondem ao mecanismo de vacinao (ativo).



Questo 10
Em determinado pomar de laranjas-cravo, foi aplicado DDT contra uma praga de lagartas que afetava os cultivares. Analise a teia alimentar encontrada na regio e responda.



Qual nvel trfico apresenta maior concentrao do poluente em seus tecidos?
A) Laranjeiras.
B) Lagartas.
C) Sapos.
D) Cobras.
E) Corujas.

Gabarito E
Tema: Ecologia
Nvel: fcil


A maior concentrao de substncias txicas acumula-se no nvel trfico mais afastado do produtor (efeito acumulativo).



Questo 11
No esquema abaixo, est representado um corte transversal de uma folha.



Analise as alternativas abaixo, relacionando-as com as estruturas foliares do esquema, indicadas por nmeros e assinale a que estiver CORRETA.
A) Nas clulas da epiderme, a fotossntese mais intensa devido maior incidncia dos raios solares: estrutura 1- Epiderme com cutcula cerosa.
B) Clulas com cloroplastos em seu interior, com alto catabolismo (fotossntese) em relao atividade de reduzido anabolismo (respirao): estrutura 2 e 3- Parnquima lacunoso e palidico, respectivamente.
C) Vasos lenhosos e floema, responsveis pela conduo de seiva, circundados por cinturo de esclernquima: estrutura 4- Feixe liberolenhoso.
D) Tecido formado por uma nica camada de clulas achatadas, aclorofiladas, de formato irregular; clulas mortas devido ao acmulo de lignina (impermeabilidade): estrutura 1- Epiderme foliar.
E) Anexo elaborado pela epiderme, com funo de trocas gasosas; suas clulas no possuem cloroplastos: estrutura 5- Estmato.

Gabarito C
Tema: Histologia Vegetal
Nvel: fcil

A questo mostra o corte de uma folha, evidenciando os vasos condutores de seiva (xilema e floema) mais internos e externos, respectivamente.

Nas questes de 12 a 16, assinale, na coluna I, as afirmativas verdadeiras e, na coluna II, as falsas.

Questo 12
Com relao s principais parasitoses ocorrentes no Brasil, analise as afirmativas e conclua.

I II
0 0 A malria e a filariose so parasitoses heteroxnicas e tm como vetor organismos distintos do reino animal, porm do mesmo gnero e classe taxonmica. Nesses casos, o homem e o mosquito alternam entre hospedeiro intermedirio e definitivo.
1 1 Cisticerco e oncosfera so estgios do ciclo de vida do parasita Taenia solium. Na tenase, o homem se contamina com o cisticerco e, na cisticercose, com a oncosfera. O homem o hospedeiro definitivo na tenase e passa a ser hospedeiro intermedirio na cisticercose.
2 2 A ancilostomase ou amarelo, causada pelo Ancylostoma duodenale, uma verminose intestinal. O Ancylostoma braziliensis ou larva migrans causa irritao na pele e prurido. A profilaxia para ambos os casos est em no andar descalo, em areia contaminada.
3 3 A ascaridase uma verminose causada pelo Ascaris lumbricoides ou pelo Necator americanus, sendo o primeiro mais comum em nossa regio. O saneamento bsico consiste numa medida profiltica importante no combate a essa verminose, alm de cuidados, como lavar frutas e verduras, beber gua fervida ou filtrada e promover saneamento bsico.
4 4 A transmisso do parasita do mal de Chagas ocorre quando o barbeiro, ao picar o homem, defeca e libera as formas infestantes do Trypanosoma cruzi. Quando a pessoa se coa, introduz os tripanossomos no local da picada. A contaminao, tambm, pode ocorrer em transfuses sangneas. O mal de Chagas pode ser congnito.

Gabarito FVVFV
Tema: Programa de Sade
Nvel: mdio

0-0) A malria tem, como vetor, o mosquito do gnero Anopheles, enquanto, na filariose, o mosquito pertence ao gnero Culex.
3-3) O Necator americanus o agente etiolgico da ancilostomose (ou amarelo).



Questo 13
Em relao ao sistema nervoso e rgos dos sentidos, analise as afirmativas e conclua.
I II
0 0 Os receptores olfativos esto localizados nas fossas nasais da maioria dos vertebrados. A funo olfativa nos peixes mnima, pois a regio do lobo olfativo enceflico pouco desenvolvida.
1 1 A fosseta loreal um rgo de viso noturna, presente nas cobras peonhentas que caam durante a noite. uma estrutura de percepo de luz de baixa intensidade.
2 2 Os cones e os bastonetes representam os dois tipos bsicos de clulas fotossensveis, localizadas na retina. Os cones so mais concentrados na regio central da retina, na mcula ltea ou mancha amarela. Os bastonetes existem em maior quantidade na periferia da retina.
3 3 Nas aves e nos mamferos, o crebro e cerebelo so bem desenvolvidos. Nas aves e baleias que migram, h orientao, tendo como referncia o campo magntico da Terra.
4 4 A audio e o equilbrio so sentidos interligados e bem desenvolvidos nos mamferos e aves. Nos peixes e anfbios, a audio pouco desenvolvida e no existe ouvido interno, mas, apenas, as membranas timpnicas. O rgo de Jacobson est relacionado com a audio bem desenvolvida dos rpteis.


Gabarito FFVVF
Tema: Fisiologia
Nvel: mdio


0-0) Os tubares, peixes cartilaginosos, so animais macrosmticos (com grande capacidade olfativa).
1-1) A fosseta loreal est associada captao de variaes de temperatura (termorreceptor).
4-4) O rgo de Jacobson est relacionado ao olfato das serpentes (quimiorreceptor).




Questo 14
Como surgiram os animais vertebrados e o que marcou a evoluo desse grupo de animais? A diversidade biolgica dos vertebrados acentuada com o nmero em torno de 50 mil espcies.
Esta extraordinria variedade obra de 500 milhes de anos de evoluo. Sobre o tema, analise as afirmativas abaixo e conclua.

I II
0 0 As evidncias fsseis indicam que os vertebrados surgiram em ambiente marinho, durante o Cambriano. Ao longo das eras geolgicas, vrias espcies surgiram e outras tantas foram extintas naturalmente.
1 1 A convergncia adaptativa ou evoluo convergente responsvel pela grande diversificao de ordens que ocorreu entre os mamferos, no Cenozico, a partir de um ancestral comum.
2 2 Os tetrpodes, animais de quatro patas, desenvolveram-se a partir de peixes, que se adaptaram a ambientes terrestres. Muitas espcies de animais, habitantes de cavernas, desenvolveram habilidades prprias, ao mesmo tempo em que se tornaram cegos, por no necessitarem mais dos rgos visuais.
3 3 A seleo natural age sobre as populaes, de modo a aumentar a variabilidade gentica. Quanto mais instvel um ecossistema, maior ser a biodiversidade pela ao da seleo natural sempre presente.
4 4 Semelhanas embrionrias e homologia de rgos so evidncias da evoluo e do grau de parentesco entre os componentes de um grupo animal como os vertebrados.


Gabarito VFFFV
Tema: Evoluo
Nvel: mdio


1-1) A diversificao dos mamferos ocorreu por irradiao adaptativa, conquistando os mais diversos ambientes.
2-2) O item faz referncia ao Lamarckismo (Lei do uso e do desuso).
3-3) A seleo natural atua diminuindo a variabilidade gentica.




Questo 15
Na evoluo dos seres do reino Animalia, o surgimento dos filos Platyhelminthes e Nematelminthes veio acompanhado por inovaes evolutivas na organizao do corpo, capacitando-os a uma melhor adaptao ao meio ambiente em que esto inseridos. Com relao s caractersticas dos animais pertencentes a esses filos, analise as afirmativas e conclua.

I II
0 0 Os platelmintos so diblsticos e pseudocelomados, enquanto os nematelmintos so triblsticos e celomados.
1 1 Ambos possuem simetria bilateral, apresentam cefalizao e centralizao do sistema nervoso. No tm rgos ou sistemas especializados para trocas gasosas, e a respirao cutnea.
2 2 A reproduo dos platelmintos muito diversificada. Nas planrias, a reproduo exclusivamente assexuada por fragmentao do corpo. Os esquistossomos e as tnias tm reproduo sexuada e so hermafroditas. Os nematelmintos so, na maioria, diicos, com dimorfismo sexual.
3 3 So nesses dois filos que aparecem, pela primeira vez, no reino animal, estruturas especializadas na excreo de resduos e sistema circulatrio. Para excreo, os platelmintos desenvolveram as clulas-flama, e os nematelmintos desenvolveram os renetes, clula gigante com formato semelhante letra H.
4 4 Apesar de os animais dos filos Platyhelminthes e Nematelminthes no apresentarem desenvolvimento de segmentao corporal e de sistemas esquelticos, so capazes de movimentar-se por meios de contraes das clulas musculares localizadas sob a epiderme do corpo.


Gabarito FVFFV
Tema: Zoologia
Nvel: mdio

0-0) Os Platelmintos so animais triblsticos e acelomados, enquanto os nematelmintos so triblsticos e pseudocelomados.
2-2) As planrias podem apresentar reproduo assexuada ou sexuada. Os esquistossomos so diicos com dimorfismo sexual.
3-3) Os helmintos so animais que no apresentam sistema circulatrio.



Questo 16
Voc no voc. Voc mais que voc. Alm de 10 trilhes de clulas prprias, um corpo saudvel abriga 100 trilhes de microorganismos de at 100 mil espcies. Para chamar seu corpo de lar, doce lar, eles pagam um aluguel e tanto: digerem sua comida, produzem vitaminas e o protegem de doenas.
Superinteressante, jan 2008. O artigo acima se refere s diversas relaes ecolgicas que ocorrem entre o homem e os microorganismos. Sobre o tema, analise as afirmativas e conclua.

I II
0 0 A flora intestinal composta por um conjunto de bactrias, que vivem naturalmente no intestino humano, impedindo o desenvolvimento de microorganismos patgenos por competio. Essa relao (competio) considerada desarmnica e, de um modo geral, classificada como negativa para as espcies envolvidas.
1 1 Como fonte de vitamina K, temos, alm dos vegetais verdes, ovos, leite e fgado, a produo dessa vitamina por bactrias (flora bacteriana) do trato intestinal do homem. Essas bactrias vivem em nosso intestino em relao harmnica, que vantajosa tanto para o homem como para a prpria bactria.
2 2 Os Streptococcus (estreptococos), que vivem em nossa garganta, formam uma colnia isomrfica de bactrias, do tipo cocos em cachos, de dezenas de indivduos.
3 3 A presena de Lactobacillus na genitlia feminina deixa o meio cido, que imprprio para o desenvolvimento da candidase. Essa uma relao harmnica entre bactria e o ser humano, benfica para ambos, constituindo uma sociedade.
4 4 Alguns vrus comensalistas vivem em nossa garganta, em busca de nutrientes, mas no causam prejuzos ao homem. O comensalismo uma relao harmnica interespecfica, como no exemplo entre homem e vrus.

Gabarito VVFFF
Tema: Ecologia
Nvel: mdio

2-2) Os cocos que se agrupam em cachos so denominados de estafilococos.
3-3) A relao entre a bactria e o ser humano harmnica do tipo mutualismo.
4-4) Os vrus so parasitas intracelulares obrigatrios.


 
 1 de Dezembro de 2008

Contestao da Prova de Biologia - UPE 2009

Questo 1 - item I BIOLOGIA 1

A pele formada por duas camadas: epiderme (tecido epitelial) e derme (tecido conjuntivo). A hipoderme , na realidade, uma estrutura que d suporte s camadas da pele. Portanto, a questo no apresenta resposta, pois s o item II est correto.

Questo 7 - item IV BIOLOGIA 2

A afirmativa est incorreta, pois os gros de plen no representam gametas masculinos, e sim, formadores dos mesmos. Portanto, a questo fica sem resposta, pois s o item II est correto.


 
 1 de Dezembro de 2008

Prova de Biologia 1 - UPE 2009

Resoluo da prova de Biologia 1

Questo 01
Nossa pele requer cuidados e proteo. O uso de protetor solar e creme hidratante recomendao dos dermatologistas para uso dirio. Segundo o INCA Instituto Nacional de Cncer, o cncer de pele o tipo mais incidente em ambos os sexos, em nosso pas. A exposio excessiva aos raios solares, associados radiao ultravioleta, representa a principal causa desse mal.
Sobre essa estrutura e suas caractersticas, analise as afirmativas.
I. A pele o maior rgo do nosso corpo e constituda de trs camadas: epiderme, derme e hipoderme, que considerada tecido adiposo subcutneo.
II. A cor da nossa pele determinada, basicamente, pela ao dos pigmentos melanina e caroteno. A melanina, protetor solar natural da nossa pele, de colorao marrom-escura, produzida nos melancitos da epiderme, e o caroteno, de colorao alaranjada, acumula-se na hipoderme.
III. A epiderme um tecido altamente vascularizado, e a disposio dos vasos sangneos tambm responsvel pela colorao da pele. As clulas da epiderme so constantemente renovadas por mitoses, numa freqncia de perodos de 30 dias.
IV. O extrato crneo ou camada crnea tambm atua como protetora da pele, evitando a sua dessecao. Esta camada a mais externa, formada por clulas com citoplasma preenchido por queratina com grandes ncleos e atividade metablica intensa.
Assinale a alternativa CORRETA.
A) Apenas I, II e III esto corretas
B) Apenas II, III e IV esto corretas.
C) Apenas I, II e IV esto corretas.
D) Apenas I e II esto corretas.
E) Apenas a IV est correta.

Gabarito D
Tema: Histologia Animal
Nvel: mdio

Analisando-se os itens falsos:

III A epiderme um tecido avascularizado.
IV A camada crnea a mais externa da epiderme e constituda por clulas mortas.

Obs.: com relao ao item I, queremos criticar a incluso da hipoderme como uma camada da pele.



Questo 02
Grupo peculiar de substncias orgnicas indispensveis ao organismo, apesar de necessrias em quantidades relativamente pequenas, com funo reguladora. Em geral, no so fabricadas em nosso corpo e so obtidas atravs da alimentao. So absorvidas no intestino, dissolvidas em gua ou em gorduras.
O texto refere-se a
A) Oligossacardeos.
B) Dipeptdeos.
C) Vitaminas.
D) Lipdios.
E) Protenas.


Gabarito C
Tema: Bioqumica
Nvel: fcil

As vitaminas so substncias orgnicas que atuam como coenzimas e com funo reguladora. Podem ser lipo ou hidrossolveis, sendo necessrias em pequenas concentraes.



Questo 03
Estrutura arredondada, localizada no citoplasma, em cujo interior esto presentes enzimas com funes digestivas.
Responsvel pela digesto intracelular, tambm atua na autofagia com a digesto de materiais e estruturas da prpria clula. Esse texto refere-se organela citoplasmtica
A) Vacolo pulstil.
B) Lisossomo.
C) Peroxissomo.
D) Complexo golgiense.
E) Ergastoplasma.

Gabarito B
Tema: Citologia
Nvel: fcil

Os lisossomos so organelas membranosas, contendo enzimas digestivas (hidrolizantes), responsveis pela realizao de autofagia, heterofagia e autlise.



Questo 04
No reino Protista, todos os organismos so ______1______. As algas protistas so ______2______ classificadas de acordo com _____3______. Os protozorios, em relao nutrio, so todos ____4________, obtendo o alimento do meio por ______5______ou absoro.
A seguir, assinale a alternativa que contm as palavras que preenchem corretamente as lacunas do texto acima.
A) 1-procariontes; 2-fotossintetizantes; 3-sua colorao; 4-parasitas; 5-fagocitose.
B) 1-unicelulares; 2-quimiossintetizantes; 3-sua morfologia; 4-parasitas; 5-ingesto.
C) 1-procariontes; 2-unicelulares; 3-seus pigmentos; 4-auttrofos; 5-quimiossntese.
D) 1-eucariontes; 2-unicelulares; 3-sua morfologia; 4-quimiossintetizantes; 5-fagocitose.
E) 1-eucariontes; 2-fotossintetizantes; 3-seus pigmentos; 4-hetertrofos; 5-ingesto.
Gabarito E
Tema: Seres Vivos
Nvel: fcil

O reino protista constitudo por organismos eucariontes, uni ou pluricelulares e auttrofos ou hetertrofos.
Est representado pelos protozorios (unicelulares e hetertrofos), algas (uni ou pluricelulares auttrofas) e mixomicetos (unicelulares e hetertrofos).



Questo 05
Da famlia Silva nasceu um casal de gmeos. O menino apresentou, logo na infncia, sintomas da agamaglobulinemia, condio hereditria recessiva ligada ao cromossomo X, que afeta o sistema imunolgico. A menina, de nome Sandra, era normal. Sandra casou-se com um homem normal, e seu primeiro filho, do sexo masculino, tambm nasceu afetado pela agamaglobulinemia.
A probabilidade de Sandra e seu esposo, na prxima gravidez, terem uma menina com agamaglobulinemia
A) 100%.
B) 75%.
C) 50%.
D) 25%.
E) zero.

Gabarito E
Tema: Gentica
Nvel: fcil

A agamaglobulinemia uma doena hereditria ligada ao sexo, portanto est relacionada a genes localizados na parte do cromossomo X no homloga ao Y.



Questo 06
Dois garotos passeavam em um parque zoolgico, observando espcimes animais da fauna sul-americana.
Faziam anotaes de taxonomia, hbitos de vida e habitat, para trabalho escolar sobre o tema. Na jaula das antas, encontraram a descrio:
Anta brasileira Tapirus terrestris (Mammalia, Perissodactyla)
Anta andina Tapirus pinchaque (Mammalia, Perissodactyla)
Dentre as anotaes taxonmicas e concluses feitas pelos garotos, relacionadas abaixo, est CORRETA a alternativa
A) So animais roedores (perissodactilos) de mesma espcie.
B) So carnvoros (mamferos) de mesma espcie.
C) So mamferos, perissodactilos, de gneros distintos.
D) As antas brasileira e andina pertencem ao mesmo gnero, porm so de classes distintas.
E) As antas brasileiras e andinas representam espcies distintas, porm pertencem ao mesmo gnero e classe.

Gabarito E
Tema: Taxonomia
Nvel: fcil

A questo retrata regras de nomenclatura taxonmica, em que a anta brasileira e a anta andina pertencem ao mesmo gnero: Tapirus, e mesma famlia: Mammalia (se dois seres apresentarem uma mesma categoria taxonmica, todas as outras acima dela tambm sero as mesmas).


Questo 07
Fibras vegetais so empregadas na fabricao de telhas e caixas dgua, atravs da tecnologia do fibracimento, como alternativa aos materiais de construo civil, em substituio aos produzidos com amianto. uma tecnologia nacional, que utiliza fibras vegetais da madeira, como pinho e eucalipto. Tambm so aproveitadas fibras de outras partes vegetais de folhas de sisal e bananeira, frutos, como o coco, e o bagao da cana-deacar, com a finalidade de adicionar reforos aos materiais de ao cimentante.
Analise as afirmativas que vm a seguir, referentes s palavras sublinhadas do texto acima.
I. Fibras vegetais da madeira: fibras de esclernquima e de xilema so impregnadas de lignina, que conferem resistncia estrutura.
II. Bananeira: vegetal de caule subterrneo tipo rizoma; suas folhas largas tm bainhas que se enrolam.
III. Coco: pseudofruto do coqueiro, planta monocotilednea.
IV. Cana-de-acar: caule tipo estipe, com armazenamento de Glicose.
Marque a alternativa que rene as afirmativas CORRETAS.
A) I, II e III, apenas.
B) II, III e IV, apenas.
C) I e II, apenas.
D) II e III, apenas.
E) III e IV, apenas.

Gabarito C
Tema: Botnica
Nvel: mdio

Itens falsos:
III. O coco um fruto verdadeiro (estrutura de origem ovariana).
IV. A cana-de-acar apresenta caule do tipo colmo.



Questo 08
A figura abaixo representa etapas do processo de coagulao sangnea. Na etapa final, a fibrina produzida forma uma rede entrelaada que retm as hemceas e interrompe a hemorragia.


Identifique a alternativa cujas palavras correspondem aos espaos de nmeros 3, 4 e 6 da figura.
A) 3- ons clcio, 4-protrombina e 6-fibrinognio.
B) 3- ons sdio, 4-protrombina e 6-plaqueta.
C) 3- ons clcio, 4-leuccito e 6-hemcia.
D) 3- ons potssio, 4-leuccito e 6-fibrinognio.
E) 3- ons sdio, 4-trombcito e 6-protrombina.

Gabarito A
Tema: Histologia Animal
Nvel: fcil




Questo 09
No ciclo evolutivo do Schistosoma mansoni, apresentado no esquema abaixo, esto representados hospedeiros, parasitas em diversas fases, modo de transmisso e profilaxia da esquistossomose.

As numeraes do esquema acima representam em
A) 1 e 2, os vermes adultos hermafroditas alojados no fgado e intestino do homem parasitado.
B) 2 e 3, ovos so liberados pelo intestino do hospedeiro junto com as fezes. Na gua, cada ovo libera uma larva ciliada.
C) 3 e 4, ovos so ingeridos por caramujos. Reproduzem-se sexuadamente e liberam larvas na gua.
D) 4 e 5, atravs das picadas do caramujo, os vermes da esquistossomose so introduzidos na pele do homem, que se banha em guas contaminadas.
E) 5 e 6, a transmisso para o homem. As larvas adultas migram para os vasos linfticos. A profilaxia ser a utilizao de botas ou calados que protejam os ps completamente.

Gabarito B
Tema: Programa de Sade
Nvel: mdio
A questo mostra o ciclo de vida do Schistosoma mansoni, reapresentado a seguir:



Questo 10
Faa a associao entre as trs colunas da tabela abaixo.

Assinale a alternativa que apresenta a associao CORRETA.
A) I-1-B; II-4-D; III-3-C; IV-2-A.
B) I-2-D; II-3-B; III-4-C; IV-1-A.
C) I-4-A; II-3-C; III-1-B; IV-2-D.
D) I-3-D; II-1-B; III-4-A; IV-2-C.
E) I-4-C; II-2-B; III-3-D; IV-1-A.


Gabarito C
Tema: Ecologia
Nvel: mdio

A questo refere-se a alguns dos biomas brasileiros, com as suas caractersticas principais e as suas floras tpicas.



Questo 11
O tipo celular que identifica os tecidos do sistema nervoso o neurnio. Atravs do sistema nervoso, os animais relacionam-se com o ambiente, dele recebendo estmulos e organizando complexas e elaboradas respostas. O neurnio responsvel por estas atividades. Identifique, na figura abaixo, as partes do neurnio e as funes desempenhadas, respectivamente.

Assinale a alternativa CORRETA.
A) Em 1, esto representados os dendritos, responsveis pela recepo dos estmulos.
B) Em 2, encontra-se o local das sinapses, onde agem os neurotransmissores ou mediadores qumicos.
C) Em 3, encontra-se corpo celular, centro de manuteno e controle das respostas neurais.
D) Em 4, encontra-se a bainha de mielina, que envolve todas as fibras nervosas.
E) Em 5, encontram-se as terminaes nervosas do axnio, que captam os impulsos nervosos e os dirigem para a estrutura de nmero 2.

Gabarito A
Tema: Histologia Animal
Nvel: fcil

A captao e a conduo do impulso nervoso ao longo do neurnio so unidirecionais.


Nas questes de 12 a 16, assinale, na coluna I, as afirmativas verdadeiras e, na coluna II, as falsas.

Questo 12
Leia o dilogo abaixo entre um paciente e seu mdico.
- Toda doena sem causa aparente virose?
- No. As viroses so doenas causadas por vrus. Dentre elas, temos algumas muito comuns, como a gripe e o resfriado. Existem, tambm, doenas virais fatais. Fique atento s campanhas de vacinao.
Sobre os vrus e as doenas virais, abordados acima, analise as afirmativas e conclua.

0 0 Doenas virais, como a tuberculose, podem se tornar uma epidemia, quando o nmero de casos for acima dos registros para determinada rea, em curto espao de tempo.
1 1 A vacinao um mtodo passivo de imunizao contra doenas virais, como poliomielite, rubola e ttano. Ainda no existe vacinao contra herpes e Aids.
2 2 Os vrus so organismos unicelulares com grande capacidade de mutao. Parasitas intracelulares obrigatrios podem causar doenas tanto no homem como em plantas e outros animais.
3 3 A profilaxia envolve mtodos de preveno contra determinada doena. O controle do mosquito Aedes uma profilaxia contra dengue e febre amarela, que so doenas causadas por vrus.
4 4 O Condiloma (crista-de-galo) e a Aids so doenas virais, sexualmente transmissveis.

Gabarito FFFVV
Tema: Programa de Sade
Nvel: fcil

Analisando-se os itens falsos:
0-0) A tuberculose uma bacteriose.
1-1) A vacinao um mtodo de imunizao ativa e o ttano bacteriose.
2-2) Os vrus so acelulares.



Questo 13
Um produtor cinematogrfico enviou um roteiro de filme de fico cientfica para apreciao e consulta tcnica por parte de um pesquisador evolucionista. A narrativa do filme envolvia trs personagens distintos: um mutante extraterrestre, um humanide OGM (Organismo Geneticamente Modificado) e um humano terrqueo (Homo sapiens sapiens). Encomendou uma verificao com embasamento terico de evoluo biolgica. Analise as afirmativas listadas abaixo que poderiam ser utilizadas pelo pesquisador em seu relatrio e conclua.

0 0 O homem, assim como todos os seres vivos, est sujeito aos mecanismos de evoluo contnua, que modificam os corpos de acordo com a ao de alteraes do meio. Dessa forma, surgem novos genes por presso do ambiente, para suprir necessidades de adaptaes.
1 1 Um OGM originado na natureza pelo cruzamento entre duas espcies diferentes, como, por exemplo, um leo e uma tigresa. , ento, gerado um organismo geneticamente modificado.
2 2 As mutaes so resultado de alteraes na seqncia de bases nitrogenadas do DNA. Genes mutantes podem passar entre geraes, se a mutao ocorrer em clulas da linhagem germinativa.
3 3 Populaes diferentes podem ser caracterizadas pela freqncia de seus alelos e de seus gentipos.
4 4 Novas espcies surgem a partir de um ancestral comum, quando ocorre isolamento geogrfico, independentemente da ao da mutao, da seleo natural e da variabilidade gentica.

Gabarito FFVVF
Tema: Biotecnologia
Nvel: mdio

0-0) O meio ambiente seleciona os organismos mais bem adaptados.
1-1) No ocorre, na natureza, o cruzamento entre indivduos de espcies e hbitat diferentes (mecanismo pr-zigtico).
4-4) A especiao depende de isolamento geogrfico, mutao e variabilidade gentica.



Questo 14
Os jovens mais informados e mais escolarizados passam a ter maior interesse por temas da ecologia, preocupando-se e envolvendo-se, cada vez mais, com as causas ambientais. O lema Quem conhece, ama, quem ama cuida! utilizado na educao ambiental e explica essa relao dos jovens que apresentam atitudes ecologicamente corretas.
Sobre ecologia e meio ambiente, analise as afirmativas e conclua.

0 0 Falta de informao e de higiene, desnutrio, gua no tratada, ms condies de saneamento, deficincias nas coletas e destino imprprio para o lixo representam, em pases pobres, alguns dos principais geradores de doenas.
1 1 O impacto ambiental, causado pela emisso de esgotos domsticos nos rios, desencadeia o fenmeno da eutrofizao, conseqncia de poluio orgnica, mas a eutrofizao tambm pode ser natural, resultante de uma sucesso ecolgica em um rio ou lago.
2 2 A chuva tem normalmente pH cido, decorrente da formao do cido carbnico, que resulta da reao do gs carbnico com gua. xidos de nitrognio e enxofre, gases poluentes na atmosfera, transformam-se, respectivamente, em cido ntrico e cido sulfrico, responsveis pela chuva cida prejudicial.
3 3 A carboxiemoglobina um composto instvel, formado quando se inspira o dixido de carbono, que, ao passar para o sangue, combina-se com a hemoglobina, inativando-a.
4 4 Mercrio e DDT so substncias altamente txicas, que, ao entrarem nas cadeias alimentares, tendem a diminuir suas concentraes em cada nvel, devido s vias de excreo dos animais.

Gabarito VVVFF
Tema: Ecologia
Nvel: mdio

3-3) O CO (monxido de carbono) combina-se com a hemoglobina, de maneira estvel, formando a carboxiemologia.
4-4) A tendncia das substncias txicas de se acumularem nos nveis mais distantes do produtor (efeito acumulativo).



Questo 15

O Reino Animalia inclui organismos eucariontes pluricelulares e hetertrofos. So bastante diversificados e esto presentes em nosso planeta, desde a Era Pr-Cambriana. Com relao s caractersticas gerais dos filos animais, analise as afirmativas e conclua.

0 0 Exclusivamente marinhos, cujas espcies mais conhecidas so as guas-vivas e os corais; so conhecidos por causarem queimaduras devido a um tipo celular caracterstico do filo denominado cnidcitos: Filo Echinodermata.
1 1 So vermes achatados dorsoventralmente, com simetria bilateral; as formas de vida livre, como as planrias, apresentam ocelos que permitem sua orientao pela luz; muitas espcies so parasitas do homem, como a Taenia solium e o Schistosoma mansoni: Filo Platyhelmintes.
2 2 So aquticos, sendo a maioria marinha; so animais filtradores, cujas clulas da camada externa denominam-se pinaccitos. Os coancitos promovem correntes de circulao de gua atravs do trio: Filo Porifera.
3 3 So vermes rolios com o corpo segmentado em anis, que representam metmeros; seu tubo digestivo incompleto e, nas formas parasitas, como nas solitrias, pode estar ausente: Filo Annelida.
4 4 Todos aquticos, sendo a maioria marinhos; corpo mole, com patas articuladas; dentre seus representantes, esto as ostras e os camares: Filo Mollusca.

Gabarito FVVFF
Tema: Zoologia
Nvel: mdio

0-0) guas-vivas e corais pertencem ao filo dos celenterados, que podem ser dulccolas ou marinhos.
3-3) Os aneldeos apresentam tubo digestivo completo, e as solitrias so representantes do filo dos platelmintos.
4-4) Moluscos so aquticos e terrestres, ex.: ostras. Os camares tm patas articuladas e pertencem ao filo dos artrpodos.



Questo 16
Respirar preciso. um ato geralmente inconsciente. O nosso corpo se encarrega de equilibrar a entrada do oxignio e a eliminao do gs carbnico, dependendo de nossas necessidades fisiolgicas. Mas, h circunstncias em que necessrio respirar conscientemente. o que ocorre em um treinamento fsico de um nadador que, explorando o seu potencial aerbico e ritmo respiratrio, alcana vantagens em seu desempenho.
Analise as afirmativas abaixo sobre a fisiologia da respirao e conclua.

0 0 Os pigmentos respiratrios, como a hemoglobina e a hemocianina, esto dissolvidos no plasma, produzindo a colorao vermelha de nosso sangue. So substncias orgnicas, que se ligam ao oxignio ou ao gs carbnico reversivelmente.
1 1 A respirao funciona perfeitamente bem, sem necessidade de empenho consciente por parte do ser humano, por estar sob o controle do sistema nervoso autnomo. Sob esse controle, o ritmo respiratrio varia de acordo com as necessidades fisiolgicas.
2 2 Nos movimentos respiratrios de inspirao e expirao, msculos se contraem e relaxam, modificando o volume da caixa torcica. Atravs da contrao dos msculos intercostais e relaxamento do diafragma, ocorre a inspirao. Quando os intercostais relaxam, e o diafragma contrai, ocorre a expirao do ar.
3 3 A hematose ocorre nos alvolos pulmonares; em sua cavidade, a concentrao de oxignio superior dos capilares sangneos, e, por difuso, o gs oxignio passa para o sangue, ocorrendo o inverso com o gs carbnico.
4 4 Aps uma inspirao forada, seguida de expirao forada mxima, permanece, nos pulmes, certo volume de ar, o ar residual. Deste modo, por mais intensa que seja a expirao, o pulmo nunca esvazia completamente.

Gabarito FVFVV
Tema: Fisiologia
Nvel: mdio

0-0) A hemoglobina do sangue humano encontra-se no interior das hemcias, enquanto a hemocianina (que d colorao azul) encontrada no plasma de alguns invertebrados.
2-2) Na inspirao, ocorre a contrao do diafragma e dos intercostais externos; e na expirao, ocorre o mecanismo inverso.


 
 1 de Dezembro de 2008

Prova de Matemtica 1 - UPE 2009

Resoluo da prova de Matemtica

Questo 01
Pedro devia a Paulo uma determinada importncia. No dia do vencimento, Pedro pagou 30% da dvida e acertou para pagar o restante no final do ms. Sabendo que o valor de R$ 3 500,00 corresponde a 20% do restante da dvida, CORRETO afirmar que Paulo recebeu de Pedro a importncia de
A) R$ 4 500,00
B) R$ 6 500,00
C) R$ 7 000,00
D) R$ 7 500,00
E) R$ 6 000,00

Gabarito D


Questo 02
Em corrida de saltos, temos que 3 saltos do sapo valem 2 saltos do coelho. Quantos saltos do coelho sero necessrios para alcanar o sapo que tem uma vantagem de 9 saltos ?
A) 18
B) 27
C) 16
D) 36
E) 24

Gabarito B


Questo 03
Sendo f(x) = x2 e g(x) = | x | - 1 , CORRETO afirmar que o grfico de f(g(x)) tem a forma indicada abaixo.


Gabarito C


Questo 04

A) 1
B) 2
C) 1/2
D) 1/4
E) 3/4

Gabarito A


Questo 05


Gabarito C


Questo 06
Onze cubinhos, todos possuindo a mesma aresta, foram colados, conforme a figura a seguir. O menor nmero de cubinhos, iguais aos j utilizados, que devem ser agregados ao slido formado pelos onze cubinhos, para obtermos um cubo macio, igual a

A) 48
B) 49
C) 52
D) 53
E) 56

Gabarito D
O cubo total possui volume 64 e a figura tem 11 cubinhos.
Logo, 64 11 = 53.

Questo 07
A figura abaixo representa uma correia que envolve duas roldanas de raios, o menor de 2cm e o maior de 4 cm. Se a distncia entre os centros das roldanas igual a 12 cm, CORRETO afirmar que o comprimento, em cm, da correia igual a


Gabarito A


Questo 08
Sobre a equao tg x + cotg x = 2, CORRETO afirmar que


Gabarito B


Questo 09


Gabarito B


Questo 10
Carlos precisa fazer um teste psicotcnico para ocupar uma vaga em uma indstria de alimentos. O teste consta de 10 questes do tipo verdadeiro e falso.
Carlos no se preparou para este teste e no sabe responder nenhuma pergunta, resolvendo chutar todas as questes. A probabilidade de Carlos acertar 5 questes , aproximadamente, de

A) 24%
B) 10%
C) 6%
D) 50%
E) 60%

Gabarito A


Questo 11


Gabarito C

Questo 12


Gabarito FVVFV


Questo 13


Gabarito FFVFV


Questo 14


Gabarito FFFFF


Questo 15


Gabarito VFVVF


Questo 16


Gabarito FFFFV



 
 1 de Dezembro de 2008

Prova de Geografia - UPE 2009

Resoluo da Prova de Geografia

Questo 01
Observe atentamente o bloco-diagrama a seguir.

Ele est representando um(a)

A) morfoestrutura desenvolvida em rochas tectonicamente dobradas.
B) bacia de sedimentao paleozica.
C) morfoescultura de dissecao.
D) trecho de terrenos de escudo falhados.
E) domnio de inselbergues e macios residuais em reas de fraturas.

Gabarito A
A figura mostra uma unidade de relevo que sofreu a ao do processo de dobramento em que aconteceu uma alterao na disposio nas camadas internas. Vale salientar que toda a dobra acompanhada por seus dois elementos (anticlinal e sinclinal).

Questo 02
Na anlise da estrutura e do crescimento industrial do Brasil, faz-se necessria a compreenso dos gneros e categorias de uso industrial. Assim, identifique os exemplos de bens intermedirios dentre os itens mencionados a seguir.
1. Metalrgica
2. Produtos farmacuticos
3. Minerais no-metlicos
4. Borracha
5. Mecnica
6. Material eltrico.
Assinale a alternativa que contm os itens CORRETOS.
A) 1, 2 e 3.
B) 2, 3 e 5.
C) 1, 4 e 6.
D) 1, 3 e 4.
E) 2, 4, 5 e 6.


Gabarito D
As indstrias de bens intermedirios produzem matrias-primas que serviro de base para outras indstrias. Na questo, encaixam-se: a metalrgica, a borracha e a de minerais no-metlicos.

Questo 03
. O crescimento populacional apresenta uma certa relao com o nvel de desenvolvimento de um pas ou regio.
Enquanto pases subdesenvolvidos apresentam um ndice de crescimento populacional que chega a superar 2,0 % ao ano, em pases desenvolvidos, esse ndice atinge 0,2%. O que pode justificar esse ndice to baixo nas naes mais desenvolvidas?
1. A Segunda Guerra Mundial, que provocou forte imigrao, sobretudo na Rssia e na Europa Oriental.
2. A maior facilidade de aceitao e difuso de mtodos contraceptivos.
3. A maior participao da mulher no mercado de trabalho.
4. O elevado custo social de criao dos filhos.
Est(o) CORRETA(S):
A) apenas 1.
B) apenas 4.
C) apenas 1 e 3.
D) apenas 2, 3 e 4.
E) 1, 2, 3 e 4.


Gabarito D
A questo aborda o to baixo ndice de crescimento populacional nos pases desenvolvidos. Os fatores principais esto ligados a questes scioeconmicas apreendidas durante a evoluo desses pases nas ltimas dcadas do sculo XX, por exemplo: a mulher no mercado de trabalho, a criao dos filhos (alto custo), a facilidade de aceitao dos programas contraceptivos e a atuao governamental.

Questo 04
Voc observar, a seguir, as manchas escuras indicadas no mapa.

Assinale a alternativa que menciona o fato geogrfico apontado pelas reas escuras (pretas) indicadas.
A) Terrenos pr-cambrianos compostos de granitos.
B) reas onde as bacias sedimentares recobrem os terrenos cristalinos.
C) Espaos geogrficos considerados como fronteira agrcola.
D) reas com derrames baslticos muito antigos (mesozicos).
E) reas remanescentes de florestas tropicais.


Gabarito E
A rea escura indicada no mapa abrange as regies de florestas tropicais, que no Brasil, foram atacadas por: expanso das lavouras agrcolas, urbanizao, atividade pecuria e desmatamento.

Questo 05
Examine a imagem de satlite a seguir.

Essa situao meteorolgica retratada indica que a rea
A) encontra-se diretamente influenciada por um anticiclone tropical, acompanhada de chuvas abundantes.
B) est submetida a um forte sistema de baixas presses.
C) est sendo atravessada por uma onda de oeste, com chuvas abundantes.
D) apresenta um fraco gradiente baromtrico, embora possua elevado gradiente trmico.
E) est submetida a um forte anticiclone extratropical, como o que atingiu, recentemente, o sul do Brasil.


Gabarito B
A figura mostra um processo climatolgico chamado ciclone, em que predomina um centro de baixa presso. Sua atuao pode trazer catstrofes para a regio aonde se dirige (ventos fortes, alagamentos, chuvas torrenciais).


Questo 06
Uma ampla rea do que se conhece como Trpico Semi-rido Brasileiro apresenta um domnio de uma paisagemtpica, c om problemas ambientais caractersticos. a chamada Depresso Sertaneja. Dentre os problemas ambientais desse espao, correto serem citadosos seguintes, EXCETO.
A) ndice de evapotranspirao potencial anual superior precipitao anual.
B) Tendncia formao de ncleos de desertificao.
C) Solos bem desenvolvidos, argilosos, mas de baixa fertilidade.
D) Estao seca prolongada e chuvas concentradas numa curta estao.
E) Drenagem sazonal intermitente


Gabarito C
A unidade denominada depresso sertaneja organiza-se sob o domnio do clima semi-rido, com solos pouco desenvolvidos, laterizado, chuvas irregulares e drenagem sazonal intermitente.


Questo 07
A cultura do arroz vem tendo grande desenvolvimento no Nordeste em conseqncia da expanso do seu mercado, devida, em grande parte, ao crescimento da populao urbana. No Nordeste, cultivam-se dois tipos de arroz, o de sequeiro e o de inundao. Cultura de ciclo vegetativo curto, mas que requer grandes tratos, sobretudo quando se trata de arroz de inundao, ela feita sempre por pequenos proprietrios, por ocupantes de terras devolutas e por agricultores sem terras, que o cultivam de parceria com os grandes e mdios proprietrios.
(ANDRADE, Manoel Correia de. Geografia Econmica do Nordeste. So Paulo: Ed. Atlas, S/D)
Observe o mapa a seguir e identifique a(s) regio(es) onde o produto analisado no texto cultivado mais intensamente.

A) 1.
B) Apenas na parte meridional da rea 4.
C) 3.
D) 2 e 3.
E) 3 e 4.

Gabarito A
A cultura de arroz no Nordeste ganhou uma grande expresso na regio do meio-norte (transio entre o serto seco e a rea amaznica), onde a estrutura do uso da terra e o tipo de solo foram fatores importantes para o arroz de sequeiro e o de inundao.


Questo 08
Analise o bloco-diagrama a seguir.

Sobre ele, CORRETO afirmar.
1. A expanso de placas litosfricas forma grandes depresses, denominadas trincheiras ocenicas; um exemplo tpico o da Fossa das Marianas.
2. O vulcanismo acontece, tambm, nas reas em que placas litosfricas colidem; essas reas so focos de terremotos.
3. Os arcos de ilhas, como, por exemplo, o das Aleutas, resultam do magmatismo oriundo, sob o oceano, das reas em que as placas litosfricas colidem.
4. As grandes dorsais ocenicas se originam nas reas onde as placas litosfricas continentais, carregadas pelas correntes de conveco do manto, esto em intenso processo de coliso.
Assinale a alternativa que contm a(s) afirmativa(s) CORRETA(S).
A) Apenas 1.
B) Apenas 3.
C) 1 e 4.
D) 2 e 3.
E) 1, 2 e 4.


Gabarito D
A estrutura da questo mostra a relao entre a movimentao e seus reflexos sobre a terra. O encontro de placas pode gerar abalos ssmicos e atividades vulcnicas. E ainda, a grande ao do magma pode apresentar arcos de ilhas como no caso das aleutas.

Questo 09
Durante muitos anos, os manguezais brasileiros foram considerados como terras improdutivas, que s serviam para abrigar mosquitos e pntanos malcheirosos. Agora, esses ecossistemas esto sendo definidos como razes do mar e berrio litorneo. Sobre esse assunto, so apresentadas as afirmaes a seguir. Uma dessas, contudo, NO corresponde realidade. Assinale-a.
A) Esses ecossistemas devem ser considerados devido a suas raras caractersticas naturais, em face de terem alto nvel de biodiversidade, o que importante para a defesa da pesca silvestre e para a ecologia marinha.
B) Os manguezais so formados por rvores resistentes s inundaes peridicas das mars e ao sal, abrigando uma grande variedade de vida marinha.
C) Atualmente, os manguezais brasileiros esto sofrendo uma diminuio de seus problemas ambientais em decorrncia da introduo da aqicultura do camaro, que vem absorvendo muita mo-de-obra especializada.
D) Em Pernambuco, na faixa litornea, existem, ainda, amplos manguezais situados, sobretudo, em reas estuarinas.
E) As reas de mangues esto entre os habitats mais ameaados do planeta; a expanso urbana, o desenvolvimento do petrleo e o turismo acarretaram, em certo sentido, srios problemas ambientais a esses ecossistemas.


Gabarito C
Os mangues esto abrigados no litoral brasileiro desde o Amap at Santa Catarina. Mas esses ecossistemas esto sofrendo com a atividade de urbanizao (construes irregulares, avanos das favelas e exposio a esgotos) e a recente atividade da aqicultura do camaro, em que reas so transformadas em tanques e, muitas vezes, a fuga de algumas espcies altera o equilbrio desse berrio e dique natural.


Questo 10
Os desmatamentos provocam diversos impactos ambientais, dentre os quais podem ser mencionados os seguintes, EXCETO.
A) Decrscimo considervel do assoreamento dos rios e riachos, com prejuzos srios fauna local.
B) Aumento da emisso de gases do chamado efeito estufa.
C) Diminuio da biodiversidade.
D) Acelerao dos processos erosivos dos solos.
E) Alteraes locais do ciclo hidrolgico.


Gabarito A
Nos ltimos anos, a gana de expanso por capital torna algumas regies do globo refns do processo de desmatamento, em que muitos reflexos negativos podem ser observados, como:

* desertificao;
* aumento do assoreamento dos rios e riachos das regies;
* alteraes nos ciclos da gua;
* aparecimento de voorocas.


Questo 11

A seqncia CORRETA
A) 5-2-1-4-3.
B) 4-5-2-1-3.
C) 5-3-2-4-1.
D) 3-5-1-4-2.
E) 2-5-4-1-3.


Gabarito E
A questo mostra alguns tipos de rocha e suas devidas classificaes, BASALTO (rocha gnea extrusiva), QUARTZITO (metamrfica do arenito), CALCRIO (sedimentar qumica), GRANITO (magmtica gnea intrusiva) e ARENITO (sedimentar clstica).


Nas questes de 12 a 16, assinale, na coluna I, as afirmativas verdadeiras e, na coluna II, as falsas.


Questo 12
O planeta Terra vem vivenciando grandes transformaes em seu ambiente natural. Um dos principais atores da degradao ambiental, que se observa atualmente, a atividade industrial. Sobre esse assunto, CORRETO afirmar que

0 0 os efeitos da tecnologia geram saturao ecossistmica, sobretudo em relao forma de poluio hdrica, atmosfrica ou com resduos slidos.
1 1 as tecnologias modernas, baseadas no uso intensivo de recursos energticos e na emisso de poluentes, representam o grande fator desestabilizador do meio ambiente.
2 2 a estratgia de crescimento associada industrializao por substituio de importaes no Brasil no privilegiou setores intensivos em emisso de poluentes.
3 3 a atividade industrial gera resduos slidos, emisses atmosfricas e efluentes, contudo no Brasil, grande parte das empresas vem introduzindo novas tecnologias de produo menos agressivas ao meio ambiente.
4 4 a industrializao ocorrida no Brasil, caracterstica dos pases subdesenvolvidos, imps ao espao urbano do pas profundas transformaes que repercutiram no meio ambiente.

Gabarito VVFVV
A introduo de uma indstria que atende aos processos do capital e do consumo provocou algumas alteraes na relao com o meio ambiente. No caso brasileiro, a poltica de substituies de importaes montou uma rea onde alguns setores intensificam a emisso de poluentes como, por exemplo, o lanamento de resduos slidos em rios e a transformao de reas em locais de alto processo contaminante, como Cubato SP (problema, hoje, j resolvido).


Questo 13
Vrios foram os fatores responsveis pela expressiva reconstruo do Japo aps a derrota sofrida por este pas asitico na Segunda Guerra Mundial. Identifique-os.

0 0 A posio geopoltica estratgica do pas o transformou num parceiro importante dos Estados Unidos para conter o avano do Comunismo na regio.
1 1 A proibio de investir em foras militares de ataque, imposta pelos Estados Unidos, acabou resultando em maiores investimentos do pas em relao melhoria da infra-estrutura nacional.
2 2 O apoio oferecido pelo Japo ao Vietnam do Norte atraiu maior investimento dos Estados Unidos, sobretudo na indstria naval.
3 3 A URSS, para neutralizar a influncia dos Estados Unidos, investiu fortemente na indstria de eletrodomsticos e, posteriormente, na minerao de carvo.
4 4 O Japo, que possua um mercado interno reduzido, apostou nas exportaes, sobretudo para o mercado norte-americano, impulsionando, assim, o crescimento industrial.


Gabarito VVFFV
A reconstruo do Japo no perodo ps-Segunda Guerra foi patrocinada principalmente pelos EUA. O governo japons centralizou a reorganizao em reas como infra-estrutura e educao, fazendo do Japo o principal parceiro americano e comprador de produtos japoneses.


Questo 14
A intensificao das trocas regionais em reas de integrao econmica explica-se por fatores diversos. Identifique-os.

0 0 Maior diversificao e oferta de bens e servios.
1 1 Reduo de tarifas alfandegrias.
2 2 Melhor diviso e especializao do trabalho.
3 3 Adoo de polticas econmicas protecionistas.
4 4 Ganhos decorrentes da economia de escala.

Gabarito VVVFV
A intensificao das trocas regionais no cenrio atual da conjuntura neoliberal est ligada aos seguintes fatores gerais: oferta cada vez maior de produtos concorrncia, corrida fiscal , incentivos fiscais, especializao e qualificao do trabalho e da mo-de-obra, fim do protecionismo.


Questo 15
O Chile foi o primeiro pas da Amrica Latina a adotar um amplo programa de privatizaes. Esse programa iniciouse na dcada de 70 do sculo passado. No processo de reestruturao do pas, foram adotadas importantes medidas.
Quais foram essas medidas?

0 0 Implementao do regime socialista que privatizou os meios de produo, sobretudo na dcada de 80 do sculo XX.
1 1 Rompimento de acordos econmicos com o FMI, o que possibilitou a implementao da poltica do pleno emprego.
2 2 Alguns segmentos dos sistemas de educao, moradia e sade foram transferidos para o setor privado.
3 3 Criao de um sistema privado de aposentadorias e penses.
4 4 Distribuio de terras irrigadas do pas a trabalhadores e pequenos agricultores, objetivando aumentar as exportaes e a produtividade


Gabarito FFVVV
O Chile foi considerado por muitos como um laboratrio do processo neoliberal na Amrica do Sul. Hoje caminha, de fato, para uma organizao poltica e social de nvel desenvolvido em que as aes dos ltimos governos abalizaram essas transformaes, como: reforma educacional, abertura para a livre concorrncia privada na economia, reforma agrria, manuteno de acordos econmicos.


Questo 16
Considere as afirmaes a seguir sobre temas que fazem parte do conjunto de noes tericas relacionadas urbanizao. Identifique as verdadeiras e as falsas, se existirem.

0 0 A megalpole se origina pela conurbao de vrias metrpoles ou regies metropolitanas; a maior megalpole a que se formou de Boston at Washington.
1 1 Stio urbano o assoalho da cidade, ou seja, o local onde a cidade se originou.
2 2 A funo de uma cidade definida pela atividade bsica ou principal nela desenvolvida; o caso, por exemplo, de Detroit, Volta Redonda e So Bernardo do Campo, que so classificadas como cidadesindustriais.
3 3 As cidades planejadas so aquelas que surgiram espontaneamente, mas que, depois, em face de graves problemas ambientais surgidos, passaram a adotar planos de desenvolvimento urbano.
4 4 A posio que uma cidade ocupa em relao aos fatores naturais e geogrficos da sua regio denominada de rede urbana.

Gabarito VVVFF
Os processos de urbanizao seguem um conjunto de processo bsicos. Atualmente h fortalecimento de conjuntos globais (cidades globais) em que a influncia scio-poltica liga-se a um processo mundial. No Brasil, algumas cidades ganham categorias especiais, como Volta Redonda (industrial) e So Jos dos Campos (tecnoplo). J as cidades planejadas, podemos colocar como exemplo Curitiba e Braslia, que surgiram da necessidade de uma organizao urbana futura.


 
 1 de Dezembro de 2008

Gabarito e Provas do 2 dia UPE 2009

Saiu o gabarito do segundo dia da UPE 2009

Clique aqui para baixar o gabarito do segundo dia da UPE 2009.
Clique aqui para baixar a prova de Biologia 1 da UPE 2009.
Clique aqui para baixar a prova de Biologia 2 da UPE 2009.
Clique aqui para baixar a prova de Matemtica 1 da UPE 2009.
Clique aqui para baixar a prova de Matemtica 2 da UPE 2009.
Clique aqui para baixar a prova de Geografia da UPE 2009.


 
Desenvolvido pela Cappen